sábado, 29 de janeiro de 2011

Excelente desempenho do Brasil no Campeonato Mundial Paraolímpico de Atletismo





Terezinha Guilhermina foi destaque entre as mulheres com 3 medalhas de ouro (Foto: arquivo Globo.com)



Odair dos Santos, três medalhas de ouro (Foto: arquivo Globo.com)


Lucas Prado, três medalhas de ouro (Foto: arquivo AFP)



Encerraram-se as competições do Campeonato Mundial Paraolímpico de Atletismo em Christchurch, Nova Zelândia 2011 e o Brasil teve uma atuação histórica ao terminar na 3ª colocação no quadro geral de medalhas, atrás apenas de China e Rússia. A delegação do Brasil foi composta por 25 atletas e 17 deles subiram ao pódio.
O quadro de medalhas ficou da seguinte forma:
1ª - China: 21 medalhas de ouro, 22 de prata e 15 de bronze. Total: 58 medalhas
2ª - Federação Russa: 18 medalhas de ouro, 11 de prata e 6 de bronze. Total: 35 medalhas.
3ª - Brasil: 12 medalhas de ouro, 10 de prata e 08 de bronze. Total: 30 medalhas.

“Essa posição mostra a força do atletismo paraolímpico brasileiro. Mais de dois terços dos atletas da seleção brasileira estão entre os três primeiros do mundo”, destacou o presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons.

OS MEDALHISTAS DO BRASIL

Ouro:

Terezinha Guilhermina: 100m T11, 200m T11 e 400m T11
Terezinha Guilhermina: 4x100m T11-13
Ádria dos Santos: 4x100m T11-13
Jerusa dos Santos: 4x100m T11-13
Ana Tércia Soares: 4x100m T11-13
Odair dos Santos: 1.500m T11, 5.000m T11 e 10.000m T11
Lucas Prado: 100m T11, 200m T11 e 400m T11
Yohansson do Nascimento: 100m T46
Shirlene Coelho: Lançamento de dardo F37

Prata:


Paulo Douglas: Lançamento de dardo F35
Jerusa dos Santos: 100m T11 e 200m T11
Yohansson do Nascimento: 200m T46
Jonathan Santos: Lançamento de disco F40
André de Oliveira: Salto em Distância F44
Daniel Silva: 200m T11 e 400m T11
Carlos Bartô: 800m T11
Tito Sena: Maratona T46


Bronze:

Daniel Silva: 100m T11
Edson Pinheiro: 100m T38
Shirlene Coelho: Lançamento de disco F37
João dos Santos: Lançamento de disco F46
Alan Fonteles: 100m T44
Ádria dos Santos: 400m T11
Alan Fonteles: 4x100m T42-46
Yohansson do Nascimento: 4x100m T42-46
André de Oliveira: 4x100m T42-46
Emicarlo de Souza: 4x100m T42-46
Ozivam Bonfim: Maratona T46


Veja os resultados completos no site oficial:

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Em Nota Oficial a Confederação Brasileira de Atletismo comunica sobre o Dia Mundial do Atletismo





Em nota oficial de nº 07/2011 a Confederação Brasileira de Atletismo - CBAt comunicou as suas filiadas sobre a realização do Dia Mundial do Atletismo – 2011. Evento que será promovido pela IAAF (Federação Internacional de Atletismo, siglas em Inglês) no mês de maio de 2011, em todo o mundo, e que conta com três faixas etárias, conforme a seguir:

- Competição de menores: para atletas nascidos em 1994 e 1995 (16 e 17 anos de idade).

- Competição de mirins: para atletas nascidos em 1996, 1997 e 1998 (13 a 15 anos de idade) – nesta faixa a IAAF recomenda que seja uma competição de equipes de escolas.

- Competição de crianças: para nascidos de 1999 a 2004 – nesta faixa etária a IAAF recomenda a utilização do Mini Atletismo.

As datas para a realização do evento serão entre o dia 1º e 22 de maio de 2011 e as entidades filiadas interessadas em organizar o evento devem definir a data nesse período e comunicada à CBAt até o dia 14 de fevereiro de 2011, através do envio da ficha de confirmação.

A Confederação Brasileira de Atletismo recomendou às filiadas que realizem a competição de menores conforme as normas da IAAF para o evento, onde os participantes necessariamente serão atletas registrados e inscritos na CBAt das Federações filiadas. A seguir as normas:

NORMAS PARA ORGANIZAÇÃO DA COMPETIÇÃO

A competição será realizada de acordo com as Regras oficiais da IAAF e a data de nascimento de cada atleta deve ser confirmada na inscrição.

- Data: a competição deverá ser programada para o período de 1º a 22 de maio de 2011.

- Idade: atletas com 16 ou 17 anos em 2011 (nascidos em 1994 ou 1995).

- Programa: o programa recomendado é o seguinte:

Masculino: 100m, 200m, 400m, 800m 1.500m e 3.000m, 110m e 400m c/barreiras
Saltos: Altura, Vara, Distância e Triplo
Arremesso: Peso (5kg)
Lançamentos: Disco (1,5kg) – Dardo (700g) e Martelo (5.0kg).
Marcha Atlética: 5.000m ou 10.000m
Cross Country

Feminino: 100m, 200m, 400m, 800m 1.500m e 3.000m, 100m e 400m c/barreiras
Saltos: Altura, Vara, Distância e Triplo
Arremesso: Peso (4kg)
Lançamentos: Disco (1kg) – Dardo (600g) e Martelo (4.0kg).
Marcha Atlética: 2.000m ou 3.000m
Cross Country

A CBAt frisou que este evento não integra o Programa Caixa de Apoio às Federações Filiadas em 2011, ou seja, não haverá ajuda da CBAt para este evento.


Fonte: Confederação Brasileira de Atletismo - CBAt



segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Atletas venezuelanos venceram a Meia Maratona Internacional de San Sebastián

Pedro Mora, à direita de azul (Foto: Erika Vargas / La Opinión)



Yeisy Álvarez, nº 011 (Foto / La Nación)

Caracas, Venezuela. Os venezuelanos Pedro Mora e Yeisy Álvarez venceram a 43ª edição da Meia Maratona Internacional de San Sebastián, que foi realizada neste domingo dia 23/01/2011 pelas principais ruas e avenidas da cidade de San Cristóbal, Estado de Táchira. A corrida este ano registrou uma participação recorde, pois foram mais de 2 mil corredores procedentes de Cuba, Colômbia, Brasil, Quênia, Equador e México.

Mora venceu a prova com um tempo de 1 hora, 6 minutos e 59 segundos, e Alvarez, com 1.19.43.

Esta foi a quarta vez que Pedro Mora vence a prova, pois tinha vencido em 2005, 2007 e 2010. Já a atleta Yeisy Álvarez venceu em três oportunidades.

A Meia Maratona Internacional de San Sebastián é considerada o evento esportivo mais antigo da Venezuela.

Fonte: Prensa Latina - http://www.prensa-latina.cu/

A V Meia Maratona Internacional de São Paulo está com inscrições abertas


A V Meia Maratona Internacional de São Paulo está com inscrições abertas. A prova será realizada em 27/02/2011 com largada e chegada na Praça Charles Müller - Pacaembú -SP. Haverá disputas também na prova participativa de 6 km. A premiação total do evento será de R$ 33.000,00 e os técnicos que tiverem seus atletas classificados entre os 5 primeiros masculinos e/ou femininos terão uma bonificação em dinheiro.

As inscrições e outras informações podem ser encontradas nos sites: http://www.yescom.com.br/meiasp/2011/portugues/index.asp

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Participe da 6ª Corrida Oral-B - Prevenção do Câncer Bucal




Acontece no dia 30 de janeiro de 2011 a 6ª Corrida Oral-B - Prevenção do Câncer Bucal. Esta corrida será a primeira do ano com padrão corpore no ano de 2011 e será realizado na região do Campo de Marte, Zona Norte de São Paulo.

A prova terá um percurso de 7km largando às 8h na Av. Santos Dumont e deve percorrer outras grandes avenidas como a Brás Leme e Olavo Fontoura. Todos os participantes ganham uma camiseta e os que concluirem o percurso ganham uma medalha de participação.

A corrida servirá para pontuar para o Ranking Corpore Atletas. Para quem já está pensando na Camiseta Corri Todas, essa prova será substitutiva.

Haverá premiação para os cinco primeiros colocados na categoria geral e dentistas.

Ação social

10% da renda obtida com as inscrições serão repassadas a Casa Safira, entidade que recebe adultos e crianças que vêm a São Paulo para o tratamento de câncer, mas não têm como custear a estadia prolongada que a quimioterapia exige.

As vagas são limitadas! Até dia 30/12 Associados Corpore: R$50,00; não-sócios: R$65,00. Após essa data: R$55,00 e R$70,00 respectivamente.

Para maiores informações visite o site:
http://www.corpore.org.br/cws_exibeconteudogeral_3535.asp

Aniversário 457 da cidade de São Paulo será comemorado com corrida de Rua



Os 457 anos da cidade de São Paulo serão comemorados com o XIV Troféu Cidade de São Paulo. Carrefour Viver 10k. A corrida será realizada no dia 25/01/2011, às 08:00 hs com saída marcada no Obelisco do Parque Ibirapuera. Maiores informações: http://www.jjseventos.com.br/ e telefone: (11) 5095.5144

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Homenagem a Adhemar Ferreira da Silva


Hoje 12 de janeiro de 2011 se cumprem 10 anos  do falecimento do atleta Adhemar Ferreira da Silva, primeiro bi-campeão olímpico do Brasil. Ele venceu a prova do Salto Triplo nos Jogos Olímpicos em Helsinque, Finlândia em 1952 e Melbourne, Austrália em 1956. Adhemar nasceu no bairro paulistano da Casa Verde, em 29 de setembro de 1927 e sua prática esportiva começou em 1947, defendendo a camisa do São Paulo Futebol Clube. Neste mesmo ano competiu no Troféu Brasil com uma marca de 13,05 metros.

As duas estrelas douradas introduzidas em 1955 no escudo do São Paulo Futebol Clube foram adotadas em homenagem a Adhemar Ferreira e se referem aos recordes mundiais batidos por ele nas Olimpíadas de Helsinque em 1952 e nos Jogos Panamericanos da Cidade do México em 1955.

Adhemar Ferreira da Silva competiu a partir de 1955 no Clube de Regatas Vasco da Gama, no Rio de Janeiro e foi competindo por ele que encerrou sua carreira em 1960. Vencedor até a sua última prova, encerra sua última competição oficial como campeão carioca no salto triplo com a marca de 15,58 m, disputada no Complexo Esportivo do Maracanã em 1º de outubro de 1960.

Os resultados vitoriosos de Adhemar inauguraram a mitológica tradição brasileira nas provas de salto triplo. Depois dele, surgiram Nelson Prudêncio (prata nos Jogos Olímpicos na Cidade do México em 1968 e bronze em Munique 1972, respectivamente) e João Carlos de Oliveira, o João do Pulo (bronze nos Jogos Olímpicos de Montreal, Canadá em 1976 e em Moscou em 1980).

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Divulgado o Ranking de Corridas de Rua 2010

Marilson Gomes da Silva é o destaque do Ranking Nacional de Corridas de Rua 2010 (Sérgio Shibuya/ZDL)

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) divulgou na quinta-feira 06/01/2011 o Ranking Nacional das Corridas de Rua 2010 e o principal destaque no masculino é o brasiliense Marilson Gomes dos Santos, tricampeão da São Silvestre. Já no feminino, Simone Alves da Silva e Adriana Aparecida da Silva dividem o destaque.

Marílson  Gomes liderou em três distâncias:
- 10 km, com 28:17, de 16 de maio de 2010, em Santos
- 15 km, com 44:04, na 86ª Corrida Internacional de São Silvestre, no último dia 
  31/12/2010, em São Paulo-SP
- 10 milhas (16,09 km), com 47:45, em Vila Velha, no Espírito Santo, em 15 de agosto 
  de 2010
- Maratona, com 2:08:46, de Londres, no dia 25 de abril de 2010.

A Meia Maratona foi liderada pelo atleta Damião Ancelmo de Souza que correu os 21,097 k m em 1:03:07, em Nanning, na China, em 16 de outubro de 2010, durante o Mundial da Distância. Fabiano Peçanha é o líder da milha (1.609 m), com 4:05, obtida em Maringá (PR), no dia 28 de maio de 2010, na Milha Sul-Americana de Rua.

Tatiane Raquel da Silva, no feminino, liderou na milha, com 5:24, tempo conseguido em Maringá, no dia 28 de maio de 2010. Nos 10 Km, Cruz Nonata da Silva foi a primeira, com 34:02, em Santos, em 26 de maio de 2010. Simone Alves da Silva teve os tempos mais rápidos nos 15 km (50:25, na São Silvestre) e nas 10 milhas (16.090 m), em Vila Velha (ES), em 15 de agosto de 2010.

O ranking da Meia Maratona foi liderado por Adriana Aparecida da Silva com 1:14:24, resultado conseguido em Nanning, em 16 de outubro de 2010, e na maratona, com 2:32:30, corrida em Berlim, no dia 25 de setembro de 2010.

Mais informações no site "Corridas de Rua" da CBAt, no link abaixo:




Brasileiro vence a edição 2011 da Walt Disney World® Marathon - Marathon


Fredison Costa (BR)


Leah Thorvilson (USA)


Largada da Corrida


Largada da Meia Maratona


LAGO BUENA VISTA, FL - JANEIRO 09: Numa das imagens acima, fornecida pela Disney, o brasileiro Fredison Costa de 33 anos, comemora  a vitória na chegada da Walt Disney World® Marathon - Marathon, edição 2011. A corrida foi realizada em 09 de janeiro de 2011. O tempo realizado por Fredison foi de  2:21: 14. O segundo colocado foi o norte-americano Michael Wardian, com 2:27:30.

Freisdon é baiano e mora em São Paulo, ele é formado em Educação Física, celebridade entre as pessoas da cidade de Riachão de Jacuípe, onde nasceu, que têm 33 mil habitantes.
Adriano Bastos, que tentava a oitava vitória na competição, terminou em 15º lugar, com a marca de 2:45:09. Ele sofreu um estiramento muscular em novembro e teve sua preparação prejudicada.

No feminino, vitória da norte-americana Leah Thorvilson, com 2:42:10. Mais de 17.500 corredores se inscreveram para correr as    26.2 millhas percorrendo todos os quatro parques temáticos de Disney.

Fontes:

Corrida de Reis de Cuiabá-MT teve vencedores quenianos




Pódio da Corrida de Reis, com os brasileiros Franck Caldeira e Paulo Alves (Divulgação TV Centro
América)

A 27ª edição da Corrida de Reis de Cuiabá-MT foi vencida pelo queniano Barnabas Kosgei que neste ano venceu também a Volta da Pampulha e foi 2º colocado na 86ª Corrida Internacional de São Silvestre, o tempo dele foi 30:24. Kosgei foi escoltado pelo seu compatriota Mark Korir. O tanzaniano Marco Joseph, que havia vencido as duas edições anteriores da prova, terminou em 4º lugar, atrás de Franck Caldeira (BR), e seguido de outro brasileiro, Paulo Alves dos Santos, 5º colocado.

Na prova feminina Cruz Nonata da Silva foi a 2ª colocada atrás da queniana Eunice Kirwa, que é bicampeã da Meia Maratona do Rio. A terceira colocada foi Simone Alves da Silva - vice-campeã da São Silvestre em 2010. Na 4ª colocação, outra brasileira Fabiane Cristine da Silva e a 5ª colocação ficou com a tanzaniana Anastazia Ghamaa.
 
Esta prova, em sua 27ª edição, foi a primeira a receber o Permit da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), para 2011. Milhares de corredores disputaram o evento neste domingo dia 09/01/2011, que teve a distância de 10 km.
 
Fonte: Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt)

sábado, 8 de janeiro de 2011

Um artigo no MSN mostra algumas razões do porquê é melhor correr em trilhas

O seguinte artigo publicado no site http://msn.minhavida.com.br/ mostra porquê é melhor correr em trilhas e dá algumas dicas para a prática desta modalidade de corridas. No nosso modo de ver neste tipo de atividades as pessoas devem combinar  vários tipos de corridas, corridas no asfalto, corrida na esteira em academias, corridas na areia, andar de bicicletas, tudo para não fazer deste tipo de exercicio um tédio. etc. A seguir o artigo na integra:

Mude seu treino e comece a correr em trilhas

Sair do asfalto queima mais calorias e trabalha mais os músculos

Por Fernando Menezes

Os dias mais longos, o clima e o maior tempo livre das férias fazem o verão ser uma ótima época do ano para mudar a rotina de treinos e avançar nos resultados. Quem corre, sabe que é fácil inovar. É só mudar de ares. "Correr sempre no asfalto da cidade pode tornar o exercício muito mecânico. Por isso, aproveitar as férias para correr em uma trilha é uma maneira de continuar a praticar sem cair na monotonia", diz o esportista e montanhista George José Volpão, que corre em trilhas de montanhas há 15 anos.

A corrida em trilha tem características que a distanciam do treino no asfalto ou na esteira, como tipo de piso, equipamentos, intensidade e tipos de lesões, e que interferem no resultado do exercício. Por isso, é importante conhecer bem esta modalidade antes de começar a praticá-la.



Uma das principais vantagens de correr em trilhas é a paisagem. Entrar em contato com elementos da natureza enquanto faz uma atividade física pode ser até mais revigorante e agradável do que praticar exercícios na cidade ou na academia. "Em uma corrida de trilha há sempre uma variação na paisagem, mesmo se a corrida for feita exatamente no mesmo percurso. Há grandes mudanças nas cores dependendo do clima, do horário e da época do ano", diz George Volpão.

Corrida mais intensa

Estudos realizados nos Estados Unidos mostraram que correr trilha queima, em média, 28% mais calorias do que no asfalto. Isso acontece por que o corpo precisa trabalhar um maior número de músculos durante o trajeto porque o piso de terra, lama e pedras de uma trilha faz nossas pernas e quadril ter um trabalho maior. "É muito comum ficar com dor no quadril depois de uma corrida em trilha, já que os músculos dessa região são poucos trabalhados em outros tipos de corrida. Depois de um tempo praticando trilha, a musculatura se fortalece e o desconforto diminui", diz George.

Para evitar lesões e fortalecer o esqueleto, é necessário fazer um treino de musculação, focando na região do quadril e nos músculos que sustentam a coluna. Com o fortalecimento dessa região, toda a parte inferior do corpo fica mais protegida. De acordo com um estudo feito pela Universidade de Calgary, no Canadá, os corredores que tem uma fraca musculatura no quadril, estão mais propensos a ter lesões no joelho e no tornozelo do que aqueles que fazem exercícios para fortalecer esse grupo muscular.

Menos lesões

Em uma trilha, cada vez que o pé toca o solo, uma variedade diferente de músculos é acionada, devido às irregularidades do solo. Por ser um exercício com pouca repetição de movimentos, as articulações, tendões, ossos e músculos ficam mais protegidos de lesões comuns no treino feito na cidade. "O piso mais macio também protege nossas articulações de impactos que causariam lesões", comenta George.



Mesmo assim, algumas lesões podem acontecer e é preciso ficara tento. Como o piso é muito irregular e muitas vezes é fofo, as torções são mais comuns nas corridas de trilha, principalmente para os corredores urbanos que começam com um ritmo muito acelerado sem estarem preparados. "O maior perigo de lesões em uma trilha são as quedas, que acontecem basicamente quando corredores não mudam o ritmo em uma descida. Os tornozelos e os punhos são os locais mais afetados, já que há o instinto de colocar a mão para tentar amortecer o impacto", diz George Volpão.

Comece devagar

Como a corrida em trilha possui características diferentes da que é feita na cidade, mesmo um corredor já acostumado com grandes distâncias no asfalto precisa começar com calma. Ele não deve se preocupar com a distância percorrida, e sim com o tempo de exercício. "Como em uma trilha há uma variedade de elementos que fazem o nosso corpo trabalhar mais, como mudanças no tipo de piso, subidas e descidas, curvas, rios e obstáculos no meio do caminho, os músculos fazem um esforço maior se comparado à mesma distância percorrida nas ruas planas da cidade", diz o montanhista.

Preocupação com os assessórios

Durante um treino na trilha é importante lembrar que dificilmente você irá encontrar lojas de equipamentos para ajudar nos momentos de necessidade. Por isso, é importante sair de casa com todos os acessórios indicados para manter o ritmo elevado e não passar por dificuldades. Uma mochila ou pochete com uma garrafa de água, uma barrinha ou um gel energético e uma fruta não pode faltar no kit de quem está se preparando para correr em uma trilha.

A escolha do calçado adequado também é fundamental. "Para correr em uma trilha, onde o piso é muito irregular e também existem muitas subidas e descidas, o calçado feito para corridas no asfalto não é indicado. É preciso usar um tênis que tenha um cano um pouco mais alto, principalmente na parte de traz no tornozelo, para deixar o pé firme e evitar torções", diz George Volpão. Esse tipo de calçado não é costuma ser muito mais caro do que o de corrida normal.

"Não é preciso ir muito longe para encontrar uma trilha para correr. A maioria dos parques nas grandes cidades tem trilhas para esse fim"

Conheça o percurso

Principalmente para quem está começando, é importante saber quais as surpresas que o seu trajeto pode trazer. "Os iniciantes devem optar por trilhas mais planas, não tão longas e devem saber a hora de parar e voltar", diz o esportista.



Segundo George, muitas pessoas se empolgam na hora de fazer uma trilha, e acabam ficando muito longe do caminho de volta. "Em uma trilha, nunca podemos esquecer que o caminho de volta será feito a pé, e não podemos pegar um táxi para voltar para casa".

Hora certa para correr

Correr muito cedo ou quando sol está se pondo, horários bastante populares para fazer uma corrida na cidade, não são os mais indicados para fazer uma trilha. No escuro, fica mais difícil ver as irregularidades no piso, o que facilita torções, quedas e machucados. Além disso, se a trilha for muito fechada, com pouca iluminação fica mais fácil se perder. "Como as mudanças no piso são constantes, o corredor de trilha deve sempre pensar nos próximos três passos que dará para preparar o corpo e fazer o movimento certo. No escuro, isso fica mais difícil", diz o especialista.

Trabalha a coordenação

A trilha trabalha a nossa percepção de como o corpo se move e onde ele se encontra, ou seja, nossa coordenação motora e nossa concentração. "Com tantos estímulos diferentes, sejam eles visuais, táteis, sonoros ou olfativos, durante um treino, o nosso corpo com o tempo fica mais ágil e mais resistente a caminhas e corridas, mesmo quando elas voltam a ser feitas no asfalto", explica George Volpão.

Treine para se recuperar

A menor velocidade se comparado à corrida de rua faz do treino na trilha um bom lugar para se recuperar suas articulações e músculos de um treino mais intenso feito no dia anterior. "Não é preciso ir muito longe para encontrar uma trilha para correr. A maioria dos parques nas grandes cidades tem trilhas para esse fim. Para quem está começando ou está se recuperando de alguma lesão, essas trilhas menos extensas são uma ótima opção", diz George Volpão.

Copyright 2006/2010 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Resultado extra oficial da participação dos Tocantinenses na São Silvestre


Benones dos Santos (nº 74 e 5674) de amarelo (Fotos: J. Henrique M. Bronze e Esequias Araújo)


Jorge Ribeiro Barros (nº 11505 e 62) de azul (Foto: J. Henrique M. Bronze  e Esequias Araújo)


Maria Antonia Gomes Jacob (nº 6932 na foto à esquerda e primeira de esquerda para direita na foto à direita). Foto: J. Henrique M. Bronze  e Esequias Araújo


Doriene Oliveira (no centro) Foto: Esequias Araújo

A participação do Tocantins na 86ª edição da São Silvestre não foi lá estas coisas, mas valeu o espírito voluntarioso dos 26 atletas que foram a São Paulo representar o Tocantins na prova que o brasileiro Marilson dos Santos venceu pela terceira vez - chegando ao tricampeonato. Sem Eliésio Miranda, o corredor mais rápido do Estado, que não viajou, por falta de patrocínio, segundo o atleta -, os melhores classificados foram os atletas Benones dos Santos Soares - Palmas - com tempo de 53 min. 59 s e Jorge Ribeiro de Barros Filho - Aragominas - com o tempo de 54 min. 15 s. Eles terminaram a prova na 158ª e 163ª colocação, respectivamente. Marilson Gomes dos Santos (BRA), o vencedor fez o tempo de 44min07s.

Já na participação feminina as melhores atletas foram: Maria Antonia Gomes Jacob - 255ª colocada com tempo de 1h. 21 min. 25 s e Doriene Oliveira Gomes - 337ª colocada com tempo de 1h. 24 min. 38 s.

Cinco nomes dos 26 que originalmente, integraram a lista da delegação do Tocantins não aparecem na lista oficial da São Silvestre. Eles são: Antônio Aires da Silva, Oriovaldo Tegon (não participou), Palmira Xavier de Jesus Barbosa (não viajou para São Paulo), Renato Gomes Batista (não terminou a prova) e Valkiria Oliveira Torres (sentiu uma indisposição e não participou).

Resultado extra oficial da participação dos Tocantinenses na São Silvestre

SEXO MASCULINO
158º - BENONES DOS SANTOS SOARES – 53 min. 59 s
163º - JORGE RIBEIRO DE BARROS FILHO – 54 min. 15s
206º - AILTON DE JESUS LOPES – 55 min. 20 s
239º - GILVAN MIRANDA CARDOSO – 56 min. 03 s
246º - CASSIUS CLAY NASCIMENTO CARVALHO – 56 min. 17 s
487º - ATHILLA CAVALCANTE COSTA 59 min. 51 s
528º - EDIVALDO ALVES DOS REIS - 1h. 00 min. 32 s
556º - WHASHINGTON RODRIGUES CAMPOS – 1 h. 00 min. 48 s
717º - CHARLES BARBOSA DE MIRANDA - 1h. 02 min. 48 s
913º - BASILIO DOS SANTOS BRITO - 1h. 04 min. 45 s
1285º - LUIZ DOS REIS - 1h. 07 min. 18 s
1467º - ANTÔNIO SARAIVA DE ARAÚJO - 1h. 08 min. 45 s
1607º - PEDRO HENRIQUE FERREIRA - 1h. 09 min. 48 s
1828º - VALDENY PEREIRA ALMEIDA - 1h. 11 min. 01 s
2807º - NIVALDO LOUZEIRO DA SILVA - 1h. 15 min. 47 s
5556º - JOAO ALVES FERREIRA – 1 h. 25 min. 24 s
5978º - SANDRO DE LIMA SILVA - 1h. 26 min. 37 s
7117º - FRANCISCO TELES COSTA - 1h. 29 min. 56 s

SEXO FEMININO
255º - MARIA ANTONIA GOMES JACOB – 1 h. 21 min. 25 s
337º - DORIENE OLIVEIRA GOMES - 1h. 24 min. 38 s

Outro atleta tocantinense na São Silvestre foi Yngledhan Araújo de Souza (foto abaixo) que representou o Sesi Tocantins, ele terminou na 353ª colocação com tempo de 57 min. 55 s.