terça-feira, 30 de agosto de 2011

Desqualificação de Dayron Robles nos 110 m com barreiras provoca polêmicas até hoje

Instantes de um dos "toques" entre o atleta cubano e chinês

A desqualificação de Dayron Robles nos 110 m com barreiras do Campeonato Mundial de Atletismo, realizado em Daegu, Coréia do Sul, provoca polêmicas até hoje e ficará na história da modalidade por muito tempo.

Antes de conhecer que tinha sido desqualificado, Robles afirmou que os “toques são coisa comum nas corridas com barreiras".


“É algo que pode acontecer nas corridas com barreiras porque vamos muito juntos'', apontou o atual campeão olímpico.

Liu declarou que não acredita que Robles teve a intenção de atrapalhar a sua corrida, pois trata-se de uma competição de muito contacto em raias muito ajustadas.

“Lamento muito o acontecido, assim é a competição e além do mais somos muito bons amigos'', disse Liu.

Após a desqualificação de Robles, o atleta americano Richardson foi declarado vencedor. “É algo agridoce. Por nada do mundo queria que alguém tão talentoso como Robles seja desqualificado'', indicou Richardson.

Foi um desenlace “novelesco” para uma corrida de luxo ao juntar pela primeira vez na final dos 110 m com barreiras, atletas como Dayron Robles, Liu e David Oliver, os três homens mais rápidos da história na prova.

Oliver ficou na quarta colocação e no Twitter opinou que o resultado inicial não devia ter sido modificado: Isso acontece em cada corrida com barreias, aconteceu comigo na semifinal... que falta de sorte''.

Li muitos comentários, uns defendendo o atleta cubano, outros o crucificando, e também vi o vídeo no youtube e em outros sites que mostram diferentes ângulos e instantes da corrida. Sou professor de atletismo, treinador e também árbitro da modalidade. Analisando os vídeos, descarto a possibilidade de Robles tentar dar um “toque” em Liu, pois desde a partida Robles faz o mesmo movimento com os braços que são típicos da técnica individual que utiliza. Por sua vez ambos os atletas tropeçam em várias barreiras antes do “toque” o que pode ter desequilibrado ambos os atletas, inclusive o atleta chinês também toca no atleta cubano. Como técnico de atletismo, como treinador da modalidade e como árbitro não vi a intencionalidade do movimento do atleta cubano.

Veja os vídeos nos seguintes links:

Paraty faz festa para a Meia Maratona Faz Um 21



Fotos disponíveis em www.fotocom.net e www.meiamaratonafazum21.com.br
Paraty recebeu pela primeira vez uma etapa da Meia Maratona Faz Um 21. Estreante no circuito de corridas organizado pela Maxsports e patrocinado pela Embratel, a cidade movimentou-se para a prova, que teve a participação de mais de 300 pessoas. A corrida, que largou no Centro Histórico e percorreu alguns quilômetros do Estrada Rio-Santos, teve um percurso de 10,5km e foi disputada em dupla. Na categoria masculina, a dupla formada por Cosme Ancelmo de Souza e Robson Pereira de Lima ficou com a primeira colocação. Entre as mulheres, Maria Lucia Moraes e Fernanda Raimunda Soares foram as vencedoras. Petrópolis receberá a próxima etapa da Meia Maratona Faz Um 21, a 21ª edição da prova, dia 18 de setembro.

Campeão mais uma vez da categoria masculina, Cosme Ancelmo de Souza não escondia a satisfação. “Corri para ganhar e ser campeão mais uma vez. O percurso foi muito bom, plano e bonito”, disse o atleta que ainda sente as sequelas de um atropelamento sofrido há alguns anos em Petrópolis. “Ainda estou buscando a minha melhor forma, mas pelo o que venho mostrando nas etapas da Meia Maratona Faz Um 21, estou perto de voltar ao meu melhor ritmo. Cosme, que não mora mais em Petrópolis, retornará à cidade em setembro para a próxima etapa do circuito patrocinado pela Embratel. “Morei lá por muito tempo e considero a cidade a minha casa, sempre corro bem em Petrópolis. Vou dar o meu melhor para continuar vencendo”. O parceiro Robson contou o segredo da vitória: “Fizemos um trabalho de equipe, corremos juntos até o oitavo quilômetro, sempre visando a primeira colocação. Seguimos o combinado e deu tudo certo. Agora é ir buscar a vitória na terra dos Pés de Ventos”, avisa. O tempo total da dupla foi de 1h10min27seg. O pódio masculino ficou completo com Eliezer de Jesus/José Gutembergue em segundo e com a dupla formada pelo queniano Kiprotich Jacob Kemboi e Ederson Vilela Pereira, em terceiro. Entre as mulheres a tática de correr lado a lado também funcionou.

Maria Lucia Moraes e Fernanda Raimunda Soares seguiram a estratégia de percorrerem os 10,5km juntas, uma puxando a outra, até cruzarem a linha de chegada com o tempo total de 1h24min16seg, suficiente para comemorarem a vitória. “Quando cheguei aqui em Paraty perguntei se ela estava pronta para ganhar. Expliquei o plano, de corrermos juntas do início ao fim, e deu certo”, disse Maria Lucia, que correu grávida de um mês. Fernanda, estreante nas provas da Meia Maratona Faz Um 21, agradeceu as dicas da companheira. “Ela sabia exatamente o que fazer para vencer por já ter perdido o primeiro lugar e em outras edições, dessa vez deu tudo certo”, disse Fernanda. Completaram o pódio as duplas Jaciane Barroso Araujo/Roselaine de Souza, em segundo, e Marcia Narloch/Selma Reis, em terceiro.

A prova teve o apoio da Prefeitura de Paraty e Mirinho, secretário de Esporte e Lazer da cidade, ressaltou a importância da realização Meia Maratona Faz Um 21: “Paraty está feliz em receber essa etapa da Meia Maratona Faz Um 21, foi uma parceria que deu certo. Espero que ela seja repetida no ano que vem. Foi muito importante para a cidade por incentivar o turismo e gerar empregos. Que em 2012 consigamos trazer mais pessoas para a corrida”. Os prêmios foram de R$ 2 mil (dois mil reais) para a dupla vencedora, R$ 1.500 (mil e quinhentos) para o segundo colocado e R$ 500 (quinhentos reais) para o terceiro.

RESULTADOS:
Categoria Masculina
1º Cosme Ancelmo de Souza e Robson Pereira de Lima (1h10min27)
2º Eliezer de Jesus Santos e José Gutembergue (1h10min55)
3º Kiprotich Jacob Kemboi e Ederson Vilela Pereira (01h11min33)

Categoria Feminina
1º Maria Lucia Moraes e Fernanda Raimunda Soares (1h24min16)
2º Jaciane Barroso Araujo e Roselaine de Souza (1h26min09)
3º Marcia Narloch e Selma Cândido dos Reis (1h26min15)