quinta-feira, 7 de março de 2013

Primeira Etapa do Circuito Caixa 2013 será teste de resistência para corredores


O triatleta goiano Santiago Ascenço analisa o percurso quilômetro a quilômetro e dá dicas para os participantes da prova, que chega à Goiás em 7 de abril

São Paulo - O Circuito de Corridas CAIXA abre a comemoração de dez anos da competição com um teste de resistência para os atletas. A primeira etapa será realizada em Goiânia, dia 7 de abril, com percurso de altimetria variada. Para ajudar os competidores, o goiano Santiago Ascenço, da assessoria esportiva que leva seu nome, dá algumas dicas de quem viu de perto o desenvolvimento das corridas no Estado. Confira a análise do trajeto, quilômetro a quilômetro.

Km 01 - Os atletas vão largar na Avenida Americano do Brasil, no Parque Areião, um dos maiores pontos de encontro dos atletas em Goiânia, e seguir à direita na Avenida Coronel Eugênio Jardim e novamente à direita na Alameda Ricardo Paranhos. "Logo no ínicio temos uma subida de aproximadamente 400 metros. Os corredores devem segurar os ânimos para não gastar todo o gás logo de cara", aponta Santiago.

km 02 - O trajeto segue pela Alameda Ricardo Paranhos com um retorno pelo mesmo caminho. "Temos uma leve descida e uma subida também bem leve. É o momento ideal de encontrar seu ritmo de prova", alerta o treinador.

km 03 - Passando o cruzamento da Rua 1131 e a rotatória, os atletas virarão à direita na Avenida 85, novamente à direita na Avenida 136 e à esquerda na Avenida 146. De acordo com Santiago, o ideal, neste trecho da prova, é manter o ritmo do segundo quilômetro e guardar energia para a descida dos próximos dois quilômetros.

kms 04-05 - O trecho de descida compreende a Avenida 146, as ruas 143 e 148 e a Avenida 87. "É o momento de ganhar algum tempo na média, pois os dois quilômetros são bem rápidos. Mas é preciso cuidado para não extrapolar na velocidade, já que ainda será necessário guardar uma reserva para os quilômetros finais", adverte Santiago.

km 06 - Da Avenida 136, os atletas percorrerão a Avenida Deputado Jamel Cecílio e a Rua 115, à direita. "A subida pode ser um pouco desconfortável, aqui, então o ideal é segurar o pace destro do objetivo", explica o treinador.

km 07 - O trecho compreende as ruas 115 e 90, contornando mais uma vez o Parque Areião. "A descida é bem íngreme até a 115, por isso o corredor deve novamente tomar cuidado com a velocidade. Nessas condições, amusculatura trabalha em contração excêntrica, gerando um grande desgaste muscular. No meu ponto de vista, é o momento de se recuperar, ingerindo um pouco de água, pois os próximos 2 quilômetros são bem desafiadores", ensina Santiago.

km 08-09 - Neste trecho, os corredores passarão pelas avenidas 1ª Radial, Circular e T-63 e a Alameda Couto Magalhães, voltando depois à Avenida 5ª radial. É o momento em que a resistência dos atletas será mais exigida, por se aproximar do final da prova. De acordo com Santiago Ascenço, o pace podemesmo subir um pouco, devido ao cansaço das pernas, mas os atletas devem manter a concentração.

km 10 - Da Avenida 5ª Radial, os atletas seguirão pela Avenida Coronel Eugênio Jardim, até voltar à Avenida Americano do Brasil, mesmo ponto de partida da prova. "Agora é hora de soltar as pernas, pois este quilômetro é todo em declive e, como diz o ditado, para baixo todo santo ajuda!", conclui Santiago.

O Circuito CAIXA comemora dez anos de competição, e cinco anos em Goiânia. Passando por quatro das cinco regiões brasileiras, o evento tem chancela daCBAt. Suas 12 corridas somam pontos para o ranking brasileiro de corredores de rua. Os dez primeiros colocados no ranking, no masculino e no feminino, garantem o patrocínio da CAIXA para 2014.

Inscrições em Goiânia

Até 17/3: R$ 50,00 - desconto de 50% para economiários, correntistas da CAIXA e atletas maiores de 60 anos
A partir de 18/3: R$ 60,00 - desconto de 50% para atletas maiores de 60 anos

O Circuito CAIXA é uma realização da HT Sports, com patrocínio da CAIXA Econômica Federal e co-patrocínio da Centauro, além do apoio de Neptunia Corretora de Seguros. Em Goiânia, temainda o apoio da Prefeitura Municipal de Goiânia, além da supervisão técnica da CBAt e da Federação de Atletismo de Goiás.


Mais informações em www.circuitocaixa.com.br / http://twitter.com/circuitocaixa

Siga a LOCAL no Twitter e curta no Facebook
http://twitter.com/localcomunica
www.facebook.com/LocaldaComunicacao


Local da Comunicação - Juliana Leite
E-mail: juliana@localcom.com.br
Tels: Juliana (11) 3263-0683, (11) 8457-9704, (11) 7878-6343 e ID 86*84
Praça Oswaldo Cruz, 124, Conjunto 24 - Paraíso - São Paulo - CEP 04004-070

Djalminha e Renato Gaúcho comandam as equipes do Brasil no III Mundialito de Futevôlei 4x4



Ex-companheiros de Flamengo, Djalminha e Renato Gaúcho estarão em lados opostos no III Mundialito de Futevôlei 4x4, apresentado pela SulAmérica.

No campeonato, que será realizado neste fim de semana, dias 9 e 10, na arena montada na Praia de Copacabana, em frente ao Copacabana Palace, Renato liderará o Brasil A e Djalminha o Brasil B. Amigos de longa data, os ex-jogadores protagonizaram uma briga em campo, há 20 anos, quando jogavam juntos pelo Rubro-Negro. Hoje em dia, os dois garantem que os desentendimentos ficaram no passado e a amizade continua.

"Isso faz tempo. O importante é que somos amigos. Essas coisas acontecem, mas não tem nada a ver com a amizade fora de campo", explicou Djalminha, endossado por Renato: "Hoje em dia é muito pior. No mesmo dia conversamos e resolvemos tudo. É normal, todo mundo quer ganhar."

Consagrados no campo, Renato Gaúcho e Djalminha agora buscam a redenção nas areias. Ídolo no Grêmio e no Fluminense, Renato comanda o time do Brasil A na luta pelo bicampeonato da competição. Durante os treinos na Praia de Ipanema, ele garante que o time está bem preparado, mas afirma que a disputa não será fácil.

"O time deles é forte. Mas isso não quer dizer muito. Futevôlei é decidido na quadra. Os profissionais da areia que vão decidir. Sempre vai haver uma competição entre as duas equipes do Brasil. Todo mundo gosta de ganhar, vamos nos divertir, mas queremos o título", garantiu Renato, que conta com uma torcida especial da filha Carolina Portaluppi. "Estou bem confiante. A quadra dele esse ano está mais forte, tenho acompanhado os treinos e vejo o pessoal falando aqui também. Acho que são os favoritos," afirmou.

Revelado pelo Flamengo e ídolo no Palmeiras, Djalminha fará sua estreia no campeonato. O ex-jogador abandonou os campos em 2004, mas seguiu com a paixão pelo futevôlei. "Estou super motivado. Hoje a rivalidade com o Renato é muito maior. Já falei com o meu time que somos a zebra, mas que chegamos forte para tentar o título", desafiou.

Já estão confirmadas também as participações das seleções de Paraguai, Uruguai, Espanha, Portugal, Argentina e Itália. O Paraguai, campeão em 2011, quer novamente a taça e para isso contará com a experiência de Gamarra, velho conhecido da torcida brasileira com passagens pelo Corinthians e o Flamengo. Já a Itália terá o ex-zagueiro Aldair, como líder, Claudio Caniggia será o capitão da Argentina, enquanto Donato, brasileiro naturalizado espanhol, comandará a Fúria.

Diferentemente do futevôlei tradicional, a modalidade 4x4 tem quatro jogadores em cada equipe e a rede é mais baixa, o que imprime maior dinamismo à partida. O formato foi desenvolvido pensando em entretenimento, com foco no público e nas transmissões da televisão, o Mundialito de Futevôlei 4x4 representa uma quebra de paradigmas e tem com objetivo ajudar na profissionalização do esporte.

Na fase classificatória, nos dia 9 de março, as partidas serão disputadas em set de 25 pontos. A final será jogada em melhor de três sets, sendo os dois primeiros terminando em 15 e o tie-break em 10 pontos.

O Mundialito de Futevôlei 4x4 tem patrocínio da SulAmérica Seguros, Previdência e Investimentos, Redecard, SKY, Casa & Vídeo, Produtos Azulim e apoio da Piraquê, Wise up, Drogaria Venâncio e Metrô. A realização é da Federação de Futevôlei do Estado do Rio de Janeiro (Futerj). O evento é chancelado pela Federação Internacional de Futevôlei (FIFv) e conta com apoio e parceria da IMX. Esse projeto foi viabilizado pelo Governo Federal por meio da Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério dos Esportes.

História do esporte

Líder do ranking mundial do esporte, o Brasil é o berço do futevôlei, que começou a ser praticado nas praias do Rio na década de 1960 e foi inicialmente batizado "pévolei". Grandes jogadores de futebol profissional, como os tricampeões mundiais Jairzinho e Fontana e o atacante argentino Doval estão entre os primeiros craques a experimentar a nova modalidade.

As primeiras associações e federações estaduais de futevôlei foram criadas na década de 1990. Em 1998, surgiu, em Goiânia, a Confederação Brasileira de Futevôlei (CBFv), que organizou os primeiros campeonatos nacionais oficiais, em que se destacaram jogadores como Renan, Helinho, Dico e Guigui, entre outros.

A partir de 2002, a entidade promove, anualmente, o Circuito Brasileiro masculino principal. O ano de 2002 também marcou a fundação da Federação Internacional de Futevôlei (FIFv). No ano seguinte, foi disputado o primeiro Mundial da modalidade, em Atenas, Grécia, com a participação de 18 duplas de 14 países. Helinho e Magrão trouxeram o primeiro título mundial para o Brasil. Em 2004, o país sediou seu primeiro Mundial, jogado em Brasília e vencido pela dupla Belo/Marcelinho.

As mulheres começaram a ganhar espaço em 2006, quando a CBFv oficializou o primeiro Campeonato Brasileiro na categoria feminina, em Goiânia. As campeãs foram Marcinha/Lana. No mesmo ano, teve lugar o primeiro campeonato nacional de categorias de base (sub-17), vencido por Cicinho/Wilsinho.

O I Circuito Mundial Masculino de Futevôlei foi jogado em 2007. Dali em diante, os brasileiros vêm mantendo a hegemonia na modalidade.

Sobre a IMX

A IMX é uma joint-venture de esportes e entretenimento dos Grupos EBX e IMG Worldwide. Com sede no Rio de Janeiro, atuação nacional e conexão internacional, a IMX nasce com o objetivo de ser uma das principais empresas do setor no país. As áreas de atuação dividem-se em três pilares: Esportes (criação e produção de eventos, consultoria e gerenciamento de talentos), Entretenimento (realização de shows e artes cênicas) e Venues (construção, gestão e operação de estádios, arenas e centros de convenções). O portfólio da IMX para 2012 inclui projetos como a gestão do time de vôlei RJX e eventos como UFC (MMA), Volvo Ocean Race (vela), Megarampa (skate), LPGA Brasil Cup (golfe), Mundial de Futevôlei 4x4, Travessia dos Fortes (natação), Vert Jam (esportes radicais), FMX (motocross), Desafio Corcovado (ciclismo), Rio International Triatlon e Rio Urban (cultura urbana), entre outros.

Sobre a SulAmérica

A SulAmérica Seguros e Previdência é um dos maiores conglomerados empresariais brasileiros, com 117 anos de história, atuando nos segmentos de seguros, previdência e investimentos. A seguradora investe constantemente em ações que proporcionem qualidade de vida e bem-estar da população. No Rio de Janeiro, a companhia investe na realização de eventos esportivos e a Rádio SulAmérica Paradiso, que leva informação, prestação de serviços e boa música aos cariocas todos os dias.

Mais informações:
RPM Comunicação
www.rpmcom.com.br
Lívia Rodrigues - livia@rpmcom.com.br
(21) 3478-7403/ 8139-4272
Luna Vale - luna@rpmcom.com.br
(21) 3478-7409/8222-0274
Raphaela Curty - raphaelacurty@rpmcom.com.br