segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Triatlón de La Habana: Campeones esculpidos en hierro








Juan Manuel Asconape llegó en óptimas condiciones a La Habana pues transita por la etapa competitiva en el verano albiceleste. Foto: Ricardo López Hevia
Hombres y mujeres de hierro en toda su dimensión. No hay otro calificativo que se ajuste más a los triatletas que durante sábado y domingo probaron sus capacidades en la Copa Iberoamericana y el Campeonato Pa­na­me­ricano de Triatlón de La Habana, que tuvo en el argentino Juan Manuel Asconape (10:41:19 horas) a su máximo exponente.
Una mirada inicial al triatleta oriundo de la Patagonia, y quien desde hace siete años es­tá enfocado completamente en mejorar sus registros no hubiese presagiado su coronación. Frisa los 1.60 metros de estatura y su constitución delgada no encaja con la de un hombre capaz de nadar 3.8 kilómetros, ha­cer 180 de ciclismo y correr otros 42.
Pero los campeones están esculpidos en hierro y Asconape supo administrarse para en la última vuelta superar al costarricense Héctor Fonseca (segundo con 10:46:20), quien dominó durante casi todo el trazado. “Nunca pensé imponerme, salí con poco más de cuatro minutos de desventaja en la natación, pude remontar en la ‘bici’, pero en la tercera vuelta del atletismo tuve que caminar. Luego en la última, la adrenalina y las ganas me llevaron a aumentar el ritmo y así pude entrar primero.
“La Habana es un lugar privilegiado para desarrollar este tipo de actividades, la natación fue espectacular, aguas cristalinas, la vista de los yates en la Marina Hemingway, los canales. El circuito ciclístico tiene algunas elevaciones continuas pero se sortean y otro elemento esencial fue la calidad organizativa y el aliento de la gente a lo largo del trazado”, sentenció Asconape.
En la media distancia —contempla 1.9 km de natación, 90 de ciclismo y 21 de carrera—, el español de 36 años Marcel Zamora lanzó su candidatura desde el mismo comienzo; no era para menos tratándose del subcampeón universal de Duatlón (natación y carrera en el 2005). El otrora fondista, natural de Bar­celona, detuvo los relojes en 4:20:56 por delante del costarricense Ernesto Espinosa (4:37:57) y el joven mexicano Alejandro Ve­negas (4:52:48).



Renee Tomlin (delante) aspira a una buena ubicación en los Juegos Panamericanos de Toronto. Foto: Ricardo López Hevia

La francesa Matilde Batailler (5:16:03) acaparó los cintillos entre las damas, relegando a la costarricense Mauren Solano (5:21:20) a la segunda plaza.
Antes, en la jornada sabatina como parte de la prueba sprint (750 metros a nado, 20 km de bicicleta y cinco de trote) la estadounidense Renee Tomlin (1:04:23 horas) y el mexicano Rodrigo González (00:57:47) emergieron mo­narcas.
La también norteña Kirsten Kasper (1:04:33) y la ibérica Tamara Gómez (1:04:55), titular Iberoamericana de la disciplina, completaron el podio de premiaciones, mientras que por las anfitrionas Lisandra Hernández (sexta-1:06:12) y Leslie Amat (novena-1:07:01) resultaron las mejor posicionadas.
Entre los hombres, la presencia del irlandés Bryan Keane (38 del planeta) y el italiano Daniel Hofer (82) hacía presagiar una batalla de rigor. Y lo fue, pese a que el azteca Gon­zález fue en definitiva quien se llevó el gato al agua, precisamente por delante de Hofer (00:58:13) y Keane (00:58.21). Michel Gon­zález (00:58:55), nuestro principal exponente ancló cuarto, en tanto Conrado Mar­tínez (1:00:41) fue el segundo mejor ubicado de nuestros representantes.
Cuando todo parecía terminado el arte se apoderó de la tribuna antimperialista y llenó a los ganadores de cada categoría élite, pues 12 prestigiosos artistas de la plástica cubanos premiaron con sus obras a los agraciados.
El Triatlón de La Habana sentó un precedente de éxito en su primera edición. Muchos tuvieron que ver en su celebración, colofón de una idea promulgada por la Di­pu­tación de Huelva y la Sociedad Cultural José Martí.

Árbitros se preparam para temporada 2015 do futebol

Árbitros e assistentes durante treinamento no Campo do 1º Batalhão da Policia Militar - Divulgação


Reinaldo Cisterna 

Visando bom desempenho no Campeonato Estadual, Brasileiro e Copa do Brasil, entre outras competições, os árbitros e árbitros assistentes retomaram desde inícios de janeiro as atividades de treinamento físico, técnico e teórico para a atual temporada, além das avaliações físicas da Federação Tocantinense de Futebol (FTF).

Os treinos acontecem de segunda a sexta-feira no Campo do 1º Batalhão da Policia Militar e compreendem atividades físicas e técnicas comandadas pelos professores Edilson Frasão Pereira (Instrutor Técnico CBF) e Alfredo Sosa Zamora (Instrutor Físico CBF).

Avaliações
Segundo Zamora, no sábado, dia 31 de janeiro acontece a avaliação física nos seguintes locais: Araguaína, Palmas e Gurupi, no dia 1° de fevereiro (domingo de manhã) será a vez de Angico e Guaraí. E ainda no dia 1º de fevereiro (domingo à tarde) serão realizadas em Araguatins, Paraíso, Dianópolis e Paranã. As avaliações físicas serão abertas para árbitros e assistentes novatos. O teste físico será o “yo-yo” teste e serão realizados nos estádios de cada cidade citada.


Pré
A pré-temporada e avaliação escrita para árbitros, árbitros assistentes e assessores será realizada no feriadão de Carnaval, nos dias 14, 15 e 16 de fevereiro, podendo se estender até o dia 17 e serão ministradas pelos Instrutores CBF/Fifa Manuel Serapião Filho e Milton Otaviano

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Corredor de Araguaína chega em sétimo no Rio de Janeiro

O atleta tocantinense Antônio Wilson Lima, natural de Araguaína, chegou em sétimo lugar na Corrida de São Sebastião, no Rio de Janieiro, na última terça-feira. A prova foi realizada em comemoração ao dia do padroeiro da capital do Estado do Rio. A largada e a chegada aconteceram no Aterro do Flamengo .

O tocantinense completou os 10 kms com o tempo de 30 minutos e 32 segundos. O vencedor foi o atleta Giovani dos Santos, também da Pé de Vento, com o tempo de 29 minutos e 39 segundos. Na segunda colcoação chegou o corredor Fabiano Joseph Naasi, da equipe Flia/Caixa. Ele registrou o tempo de 29 minutios e 54 segundos. E na terceira colocação chegou o atleta africano da Tanzânia Joseph Tiophil Panga , que registrou  29m56s.  A Corrida de São Sebastião é o mais tradicional evento esportivo da cidade do Rio de Janeiro, que  reuniu cinco mil atletas debaixo de um sol escaldante.

Resultado dos 10 kms
1º Giovani dos Santos (Brasil) - 29m39s
2º Joseph Fabiano (Tanzânia) - 29m42s
3º Joseph Panga (Tanzânia) - 29m54s
7º Antônio Wilson LIma - Pé de Vento - 30m32s

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Balonmano cubano por medallas en Toronto

Las mujeres tienen mejores opciones que los varones en el intento por llegar al podio de premiaciones
Autor:  | internet@granma.cu


Las brasileñas serán las principales aspirantes al oro en los Panamericanos de Toronto Foto:deportes.info
LA HABANA.—Incluirse entre los medallistas de los Juegos Panamericanos de Toronto, Canadá del 10 al 26 de julio, es pretensión de los elencos femenino y masculino cubanos de balonmano, para el presente año.
Raimel Reyes, metodólogo nacional de esa disciplina, declaró que el equipo femenino se prepara para asegurar un boleto a los Juegos Olímpicos de Río de Janeiro 2016, plaza que discutirá en la cita continental en suelo canadiense.
Explicó que en Toronto las mujeres aspiran a llegar a la final y disputar el oro frente a Brasil, en un difícil camino donde deberán derrotar a Argentina para alcanzar esa meta. Ese certamen otorga un cupo para Río 2016, y como las brasileñas como anfitrionas tienen su puesto asegurado, Cuba puede aspirar a la clasificación para asistir por primera vez a un torneo de tanto prestigio.
Sobre los hombres, dijo Reyes, deben seguir madurando y ganar en experiencia competitiva, pero irán a la lid continental por la medalla de bronce, ya que Brasil y Argentina están a un nivel superior que el resto de los contrincantes.
También señaló que de ubicarse entre los tres primeros clasificarían al Preolímpico de balonmano, lo que les daría la posibilidad de foguearse con colectivos de mayor calidad, incluidos los europeos.
Significó que el conjunto varonil cuenta con un promedio de edad de 21 años y los entrenadores han de trabajar pensando en el futuro, sin descuidar los resultados del presente. Destacó como elemento positivo la incorporación de algunos atletas que a causa de lesiones no participaron en los Juegos Centroamericanos y del Caribe de Veracruz, en noviembre último, cita en la que se ubicaron terceros, mientras las féminas lograron la presea dorada.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

CBAt divulga Ranking CAIXA CBAt de Corredores 2014

Da Assessoria de Imprensa da CBAt

Fabiana e Sivaldo, campeões (Luiz Doroneto/adorofoto)


São Paulo - A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) divulgou, em nota oficial, a classificação final do Ranking CAIXA CBAt de Corredores 2014, encerrado após a disputa da São Silvestre, no último dia 31 de dezembro.

Os campeões no masculino (Sivaldo Santos Viana) e no feminino (Fabiana Cristine da Silva) já estavam definidos, mas os 10 primeiros de cada gênero só puderam ser confirmados após a última das 28 etapas.

A temporada do ano passado começou no dia 23 de fevereiro, com a disputa da Meia Maratona Internacional de São Paulo, e terminou no último dia do ano, com a tradicional Corrida de São Silvestre, também na capital paulista.

Nas 28 etapas de 2014, 315 atletas de todo o País marcaram pontos no Ranking de Corredores, sendo 210 homens e 105 mulheres. Além da pontuação recebida pela classificação nas provas, os participantes, que seguiram o regulamento específico, também receberam bônus.

Os 10 primeiros entre os homens e mulheres participarão em 2015 no Programa de Apoio Caixa de Corredores de Elite, da CBAt.

Classificação final do Ranking CAIXA/CBAt-2014

Masculina
1-Sivaldo Santos Viana - 505 pontos
2-Valdir Sergio de Oliveira - 422
3-Willian Salgado Gomes - 321
4-Justino Pedro da Silva - 300
5-Adelmo dos Santos Alves - 260
6-Laurindo Nunes Neto - 238
7-Jurandy Couto Junior - 220
8-Giomar Pereira da Silva - 217
9-José Márcio Leão - 209
10-Carlos Eduardo Conceição Correa - 118

Feminina
1-Fabiana Cristine da Silva - 444 pontos
2-Maria Regina Santos Seguins - 382
3-Joziane da Silva Cardoso - 373
4-Fernanda Raimunda Soares - 355
5-Maria Bernadete Cabral - 229
6-Conceição de Maria Carvalho - 183
7-Roselaine de Sousa Ramos Benites - 174
8-Adriana Sutil da Costa - 171
9-Maria Zeferina Baldaia - 156
10-Larissa Marcelle Moreira Quintão - 113

Camping de Atletismo termina no Rio

Da Assessoria de Imprensa da CBAt

Atletas no Camping do Rio de Janeiro (Divulgação)
São Paulo - Terminou neste domingo (dia 11) o Camping Nacional de Saltos Horizontais (triplo e salto em distância), coordenado pelos treinadores Nélio Moura e Tânia Moura, na Escola de Educação Física do Exército, na Urca, no Rio de Janeiro, com recursos do Plano Brasil Medalhas do Ministério do Esporte e do Programa Nacional CAIXA CBAt de Treinamentos e Clínicas.

Organizado pela Superintendência de Alto Rendimento da Confederação Brasileira de Atletismo, o evento começou no último dia 03, com duas sessões diárias de treinamento. Além dos atletas contemplados pelos Campings (Jonathan Henrique Silva, Kauam Kamal Aleixo Bento e Tiago da Silva), outros atletas participaram dos treinamentos como convidados, como Bruno Souza, Mateus de Sá, Lucas Marcelino, Giselle Marculino, Paolla Furlin e Maurren Maggi, campeã olímpica em Pequim-2008, entre outros.

"É muito bom reunir o grupo e treinar com foco específico, longe de casa. Tivemos ótimo aproveitamento, visando as competições de 2015", comentou Nélio Moura, referindo-se a eventos como o PAN, em Toronto, e o Mundial, em Pequim.

Africanos dominam Corrida de Reis 2015, em Cuiabá

Da Assessoria de Imprensa da CBAt

Foto da largada do evento no Mato Grosso (Divulgação)


São Paulo - A 31ª edição da Corrida de Reis foi disputada na manhã deste domingo (dia 11) entre Várzea Grande e Cuiabá, no Mato Grosso. O percurso de 10 km, dominado pelos africanos, foi a primeira prova reconhecida pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) na temporada, com o Permit 001/2015.

A queniana Delvine Meringor venceu no feminino com uma grande folga em relação à segunda colocada, Nancy Kipron, que ganhou a prova em 2014. A terceira foi a tanzaniana Failuna Abdi Matanga. A goiana Sueli Pereira da Silva ficou em quarto lugar e Marily dos Santos chegou em quinto.

No masculino, vitória do tanzaniano Alphonce Felix Simbu , seguido dos quenianos Edwin Kipsang e Edwin Kipron Kibet. Wendel Jerônimo Souza foi o brasileiro mais bem colocado, em quarto lugar.

A 31ª Corrida de Reis reuniu, pela primeira vez, 15 mil corredores de todas as partes do Brasil. Antes, o número era de 10 mil inscritos. A Corrida de Reis é considerada a maior prova rua do Centro-Oeste.

O pódio da competição:

Masculino
1-Alphonce Felix Simbu (Tanzânia) - 30:08
2-Edwin Kipsang (Quênia) - 30:44
3-Edwin Kipron Kibet (Quênia) - 31:15
4-Wendel Jerônimo Souza (Brasil) - 31:29
5-José Nilson de Jesus (Brasil) - 31:32

Feminino
1-Delvine Meringor (Quênia) - 33:53
2-Nancy Kipron (Quênia) - 34:37
3-Failuna Abdi Matanga (Tanzânia) - 34:42
4-Sueli Pereira Silva (Brasil) - 34:54
5-Marily dos Santos (Brasil) - 37:04

Ana Cláudia, Rosângela e Franciela treinam no Rio

Da Assessoria de Imprensa da CBAt

Rosangela Santos no revezamento (Wagner Carmo/CBAt)


São Paulo - As principais velocistas brasileiras participam, a partir do próximo domingo (dia 18), do camping de revezamento do 4x100 m feminino. Trata-se de realização conjunta da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Os treinos, que irão até o dia 24, acontecerão na pista da Escola de Educação Física do Exército da Urca, no Rio de Janeiro. 

Participarão do camping as finalistas olímpicas da prova em Londres-2012: Ana Cláudia Lemos (BM&FBovespa), Rosângela Santos (EC Pinheiros), Franciela Krasucki (EC Pinheiros) e Evelyn dos Santos (EC Pinheiros).

A Superintendência de Alto Rendimento da CBAt convocou mais oito atletas para o camping: Bruna Jéssica Oliveira Farias (Powerade Team), Karina da Rosa (FME Concórdia), Kauiza Moreira Venâncio (AABLU), Mirna Marques da Silva (Centro Olímpico), Tamiris de Liz (Corville), Thaissa Barbosa Presti (BM&FBovespa), Vanusa Henrique dos Santos (BM&FBovespa) e Vitoria Cristina Silva Rosa (EMFCA).

"Trata-se de camping fundamental para o Brasil", explica o superintendente da CBAt, Antonio Carlos Gomes. "A equipe feminina foi finalista nas duas últimas Olimpíadas e nos três últimos Mundiais", continua. "Agora, temos pela frente o Mundial de Revezamentos (Nassau, nas Bahamas), o PAN (Toronto, no Canadá) e o Mundial (Pequim, na China), eventos que mostrarão as nossas reais condições para os Jogos do Rio 2016", conclui.

A coordenação dos trabalhos é de Clovis Alberto Franciscon, Marcelo Alberto Costa de Freitas e Carlos Alberto de Azevedo Cavalheiro. Por sinal, Cavalheiro volta ao Brasil depois de uma década de prestação de serviço no Catar. Ele foi técnico de Robson Caetano, medalha de bronze nos 200 m na Olimpíada de Seul, na Coreia do Sul, em 1988. "Cavalheiro será o coordenador das provas de velocidade e revezamentos (100 m, 200 m e 4x100 m, masculino e feminino), conforme acertado entre CBAt e COB", explica Jorge Bichara, gerente de performance do Comitê Olímpico Brasileiro.

Katsuhico Nakaya e Adriano da Costa Vitorino são os treinadores responsáveis pela preparação da equipe. Estão convidados também Gustavo dos Santos Gomes, Andrigo Zaar Stankievcz, Robson Luiz de Souza Alhadas e Vitor Fernandes, treinadores pessoais das atletas.

O presidente da CBAt, José Antonio Martins Fernandes, o Toninho, lembra que atualmente os atletas e treinadores contam com os meios ideais para esse tipo de treinamento especializado. "Além dos coordenadores e treinadores, eles contam com apoio de uma equipe multidisciplinar experiente, isso faz a diferença", explica o dirigente.

Fazem parte da equipe multidisciplinar os fisioterapeutas Denise Cristina de Menezes Lessio e Marcos Augusto da Costa Vitullo, o massoterapeuta Jorge Antonio de Lima, a nutricionista Danielli Boutture Pereira Lopes, e as psicólogas Simone Meyer Sanches Mendes e Sonia Maria Ricette Costa.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Dieta detox: conheça erros e cuidados ao usar esse método para emagrecer

Quando realizado de maneira errada o método pode causar ganho de gordura e prejudicar a saúde

Após momentos de abuso na alimentação e nas bebidas alcoólicas ou açucaradas, como nas festas de final de ano e feriados, algumas pessoas recorrem às dietas detox também chamada de dieta desintoxicante com o objetivo de "limpar o organismo" e perder peso. 
Porém, alguns desses regimes são muito extremos, fazendo com que o indivíduo consuma pouquíssimas calorias ou fique dias à base de líquidos. Estas dietas exageradas podem ter o efeito contrário do que o detox propõe e ao final causar o ganho de gordura e prejudicar a saúde. 
Afinal, para que o organismo volte ao seu estado normal não são necessárias medidas tão extremas. "Após dois dias de retorno para uma alimentação saudável o nosso corpo já volta ao metabolismo de antes", diz a nutricionista Amanda Epifânio que integra o corpo clínico do CITEN. 
Até mesmo a eficácia de qualquer dieta detox é questionada por alguns profissionais da saúde. "Não acredito que exista a condição que denominam de intoxicação. Os verdadeiros desintoxicantes do corpo são o fígado e os rins, e esses órgãos ficam sobrecarregados quando a alimentação é rica em gordura, sódio e açúcares. Porém, toda vez que saímos de uma alimentação cheia de gorduras para algo mais leve, isso reduz a sobrecarga do fígado e faz com que ele trabalhe de forma normal", constata Epifânio. 
Contudo, há dietas detox que propõe justamente um regime que prioriza os alimentos saudáveis e que deixa de lado aqueles ricos em gorduras e açúcares. Saiba o que pode ser interessante nos regimes desintoxicantes e quais são os cuidados necessários ao realizar este plano de emagrecimento.

Quais alimentos realmente evitar


Alguns alimentos realmente sobrecarregam o fígado por serem ricos em substâncias que em excesso prejudicam organismo. Por isso, após momentos de abuso, é importante evitar alimentos que irão fazer com que esse órgão tenha uma atividade intensa. 

A orientação é ter uma dieta balanceada, restringindo o consumo de alimentos ricos em gorduras trans e saturadas, é o caso da carne vermelha e produtos industrializados, como congelados e biscoitos. Comidas ou bebidas com aromas artificiais, corantes e aditivos químicos devem ter o consumo limitado, bebidas alcóolicas e açúcar também. 

Alguns especialistas orientam cortar alimentos com glúten, como a farinha de trigo, lactose e soja. Caso a pessoa faça isso por conta, o tempo da dieta não deve passar de um a dois dias, se for mais do que isso a reintrodução dos alimentos é mais difícil, pois a pessoa pode ficar um pouco sensível às comidas e bebidas. "Isto é uma precaução, pois as alergias com esses ingredientes são frequentes", justifica a Ph.D em nutrição Andrea Dario Frias, coordenadora do centro de pesquisas Sanavita. A cafeína também é restringida por alguns profissionais da área da saúde. "Como os chás serão consumidos com maior frequência e eles já possuem essas substância, é recomendado não abusar do café", explica Frias.

Quais alimentos priorizar


Uma alimentação leve já irá contribuir para o melhor funcionamento do fígado. "Consumir muitas frutas, verduras, legumes, cereais integrais, grãos e carnes brancas ajuda muito. Não adianta pular uma refeição, pois se o corpo fica sem comer entra em estresse e isso aumenta o peso porque o organismo vai atrás de mecanismos de estoque", explica a nutricionista Amanda Epifânio, do CITEN. 

Além de não sobrecarregarem o fígado, estes alimentos são ricos em vitaminas, minerais, compostos fenólicos que tem ação antioxidante. Os peixes, grelhados, assados ou cozidos, e as sementes, como a chia e a linhaça, são ricos em ômega 3 que proporciona uma ação anti-inflamatória. 

Os sucos com verduras e frutas e os chás também são muito recomendados por alguns profissionais da área de saúde. O consumo balanceado deles na dieta é benéfico. O chá verde é rico em catequinas que tem o poder de combater os radicais livres no organismo e ainda possui um efeito termogênico. O chá de hibisco é uma boa escolha, por conter flavonoides e ácidos orgânicos que tem ação antioxidante e diurética. O chá de gengibre é outra bebida que possui forte ação antioxidante.


Fuja da dieta líquida


Algumas dietas detox envolvem passar dias ingerindo somente líquidos e isto pode causar uma série de problemas para a saúde. "Tirar alimentos e colocar líquidos faz com que o fígado trabalhe mais porque ele terá que conseguir energia de alguma maneira, isso ocorre em casos de dietas que durem mais do que uma semana", conta Epifânio. Porém, manter a dieta líquida por apenas um dia já acarreta problemas, afinal esse tipo de alimentação é pobre em calorias, o que pode levar a desmaios, dores de cabeça, entre outros problemas. 

Os rins também são prejudicados por uma alimentação essencialmente líquida. É este órgão que controla os eletrólitos, sódio e potássio, do nosso organismo e o excesso de líquidos causa um desequilibro entre esses eletrólitos que em casos graves pode causar até a desidratação. Ingerir mais de quatro litros de bebidas ao dia não é benéfico para a saúde.

Fuja do baixíssimo consumo de calorias


A restrição calórica excessiva além de ser prejudicial para a saúde também não irá provocar um emagrecimento saudável. "O corpo tolera por muito pouco tempo essa falta de energia, assim após sete dias começa a usar o seu estoque corporal que é o que chamamos de estoque de ouro, não é só a gordura, mas também músculos", alerta Epifânio. 

Também podem ocorrer alguns problemas de saúde. "No curto espaço de tempo pode não acontecer prejuízos. A partir de uma semana o risco é ter hipoglicemia que pode levar a desmaios", diz Epifânio.

Evite o efeito sanfona


Após uma dieta detox muito restritiva e por um período maior do que sete dias a pessoa pode não só voltar ao peso original com ganhar mais gordura. "Como expliquei, a falta de energia por muito tempo faz com que diminua a quantidade de músculos. Assim, quando o indivíduo volta para a dieta comum, o corpo quer voltar ao peso perdido, mas só recupera a gordura e então a pessoa fica mais flácida", constata Epifânio. 

A melhor maneira para evitar o efeito sanfona é não realizar uma dieta detox muito restritiva, apenas priorizando alimentos mais saudáveis e evitando outros prejudiciais. Quando acabar o regime é necessário mudar os hábitos alimentares. "O ideal é incorporar hábitos saudáveis na alimentação cotidiana. Continue priorizando os alimentos naturais e diminua o consumo de álcool, gorduras saturadas e trans, sódio e açúcar", explica Frias. 

Procure ajuda profissional


Ao realizar uma dieta detox o ideal é procurar a ajuda de um profissional da área da saúde, nutricionista ou nutrólogo. "Caso a pessoa faça um regime desintoxicante por conta não recomendo que dure mais do que três dias. Se ela fizer a dieta detox por um longo período deve falar com um profissional da saúde, pois ele irá orientar uma suplementação de vitaminas e minerais", diz Frias. 

Além disso, se a pessoa passar muito tempo sem ingerir a lactose e o glúten é preciso cuidado quando for voltar a consumir alimentos com a substância. Isto porque o organismo fica mais sensível a esses alimentos depois da dieta.

Evite o excesso de determinados alimentos



Ao longo da dieta detox é importante não abusar do consumo de chás. Alguns deles, como o chá verde e o mate, possuem cafeína e o excesso da substância pode causar insônia, taquicardia e gastrite, pois ela aumenta a secreção gástrica. 

A orientação é não passar de três xícaras das versões simples à granel, como o de hibisco, chá verde e de gengibre. Com relação às versões industrializadas que são mais concentradas, o consumo não deve passar de dois copos ao dia. Quanto aos sucos detox o recomendado é não ingerir mais do que dois copos ao dia.


sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Como cuidar bem do coração com uma boa alimentação

Por  | Yahoo Mulher 


Os últimos dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia apontaram que as brasileiras representam cerca de 30% dos casos de infarto no Brasil. O número assustador é um alerta para as primeiras mudanças visando o bem-estar e a saúde.

E  começar a pensar na ‘saúde do coração’ pode começar na alimentação. Simples, não? 

 “As doenças cardiovasculares afetam principalmente pessoas adultas acima de 60 anos, embora já tenha aumentado a ocorrência em mais jovens. Podemos considerar doença cardiovascular as doenças coronarianas (infarto do miocárdio e angina do peito), cerebrovascular (AVC e ataque isquêmico), doença arterial periférica e aterosclerose da artéria aorta. Hábitos saudáveis levam a uma vida mais longa e de qualidade. Pequenas dicas causam grande impacto na redução dos riscos de doenças cardíacas”, alerta a nutricionista Cintia Azeredo, do Vita Check-Up Center. 

Saiba agora o que incluir e eliminar do cardápio para cuidar bem do seu coração:



Você sabe cuidar da saúde do seu coração?

Derrube os mitos sobre o assunto e previna doenças como hipertensão e infarto

Segundo a Organização Mundial da Saúde, as doenças cardiovasculares estão entre os males que mais matam no mundo, e cerca de 30 a 40% destas mortes poderiam ser evitadas apenas com mudanças de hábitos. As doenças do coração - hipertensãocolesterol alto, infarto, AVCaterosclerose, entre outras - são causadas por fatores físicos, emocionais e principalmente pelo estilo de vida do paciente, por isso são chamadas de multifatoriais. Pelo fato de as doenças cardiovasculares não apresentarem sintomas, muita gente tem alterações e não sabe - por isso é importante fazer os exames regularmente, principalmente se você tem histórico familiar. 

A Sociedade Brasileira de Cardiologia divulgou recentemente a sua "V Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose", com os novos valores para as taxas de colesterol - quando estão acima do recomendado elas são um dos principais fatores de risco para doenças cardíacas. O valor de referência passou de 100 mg de colesterol LDL por decilitro de sangue para 70 mg/dL nos pacientes de alto risco (entenda aqui como é feita a classificação). Já aqueles com risco intermediário (entre 5% e 20% para homens e 5% e 10% para mulheres), as taxas de controle continuam de 100 mg/dL. Por fim, os pacientes que tem um risco abaixo dos 5% para doenças cardiovasculares devem ter seus níveis limite de colesterol avaliados por um profissional - já que algumas pessoas saudáveis podem ter níveis mais baixos ou altos de colesterol total por uma questão genética.