terça-feira, 23 de junho de 2015

Dilma lança os Jogos Mundiais Indígenas em Brasília hoje

Arco e flecha deve ser uma das modalidades disputadas nos Jogos Mundiais Indígenas de Palmas (Foto: Emerson Silva/ATN
A presidente Dilma Rousseff lança nesta terça-feira a 1ª edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, às 18h30, na Tribuna de Honra do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. Além da presidente, o evento contará com representantes indígenas dos cinco continentes, além de autoridades nacionais e internacionais. O atleta tocantinense Felipe Fraga, padrinho dos JMI participa da abertura junto aos representantes indígenas nacionais e internacionais.
  
Estão confirmados no evento os ministros da Agricultura, Kátia Abreu, do Esporte, George Hilton, do Desenvolvimento Agrário, Patrus Annanias, da Cultura, Juca Ferreira, Direitos Humanos, Pepe Vargas e da representação residente da ONU no Brasil, Jorge Chediek.
  
Os Jogos dos Povos Mundiais Indígenas vão ocorrer em Palmas, no período de 20 de outubro a 1º de novembro.
  
Brasília

Para aproveitar a presença dos líderes indígenas brasileiros e internacionais que vão realizar o Congresso Técnico, amanhã e na próxima quinta-feira, em Brasília, esse foi um dos motivos do evento ocorrer na capita federal e não em Palmas (sede do evento). A informação foi repassada pelo Articulador Internacional dos Jogos, Marcos Terena, e confirmada pelo prefeito de Palmas, Carlos Amastha, explicando que o lançamento dos Jogos foi uma opção do Comitê Intertribal - Memória e Ciência Indígena, e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD, que são os organizadores da competição.

Nestes dois próximo dias, os mesmos representantes estarão reunidos em Congresso Técnico, que vai definir as normas para realização dos Jogos. O encontro marca o início da divulgação nacional dos Jogos, já anunciados no exterior.

Logística

Os líderes indígenas participantes do congresso definirão, em conjunto com o Comitê Executivo dos Jogos, formado por membros do Ministério do Esporte, Comitê Intertribal e Prefeitura de Palmas, como será a logística durante o evento e receberão orientações gerais sobre a cidade-sede e a programação dos JMI.


Quadro


Tocantins
  
Para prestigiar o evento estão indo várias autoridades do Tocantins, como a governadora em exercício, Cláudia Lélis (PV), o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, o secretário Estadual de Esporte, Lazer e Juventude (Seelj), Salim Milhomem, e o Secretário Extraordinário dos Jogos em Palmas, Hector Franco.
  
Previsão

A previsão é que cerca de 300 pessoas, entre autoridades, ministros de Estado, embaixadores, políticos, formadores de opinião, jornalistas e lideranças indígenas de 24 etnias brasileiras e de 22 países participem do cerimonial. 

A cantora baiana Margareth Menezes será a principal atração musical da noite. Além disso, o bandolinista carioca Hamilton de Holanda vai apresentar uma versão especial do Hino Nacional Brasileiro.
  
Lema

Com o lema “O importante não é ganhar, e sim celebrar”, já foram realizadas doze edições dos Jogos. O principal objetivo desta celebração é proporcionar um intercâmbio multicultural, entre comunidades indígenas e não-indígenas, por meio da prática de jogos tradicionais. Além disso, o evento busca a valorização das tradições dos povos, por meio de esportes e rituais que reforcem os costumes e resgatem a identidade cultural e a autoestima dos povos indígenas.
  
Voluntários


Seguem abertas as inscrições para voluntários nos Jogos Mundiais Indígenas. Os interessados em uma das 90 vagas podem se inscrever no site da competição até o dia 31 de julho. A lista com os nomes dos selecionados será divulgada no dia 7 de agosto.





Nenhum comentário:

Postar um comentário