quinta-feira, 9 de julho de 2015

Marcos Terena quer aproveitar corpo técnico da Seelj nos Jogos Mundiais Indígenas

Por: Reinaldo Cisterna

Fotos: Osmir Chavez, Alfredo Sosa Zamora, Dornil Sobrinho e Silvino Rodrigues
O Articulador dos Jogos Mundiais Indígenas, Marcos Terena, solicitou hoje ao Secretário Estadual do Esporte, Lazer e Juventude (Selj), Salim Milhomem, o pedido do grupo técnico da secretaria para ajudar na competição.
O motivo deste pedido foi que a Secretaria do Esporte realizou com brilhantismo a VI Edição dos Jogos dos Povos Indígenas, em 2003, a 1ª Edição dos Jogos dos Povos Indígenas do Tocantins em 2005 e na XI Edição dos Jogos dos Povos Indígenas, em 2011. O pedido foi feito nesta manhã de quarta-feira,8, quando visitou o secretário, em seu gabinete. Ele esteve acompanhado do secretário executivo dos Jogos Mundiais da Prefeitura de Palmas, Kairo Bernardo.
“Temos boa impressão do pessoal técnico da Secretaria que nos ajudou muito durante o evento de 2003”, comento Terena, que deve retornar à Capital no final do mês para um encontro com o governador Marcelo Miranda, que será agendado por Salim Milhomem. “Vamos levar ao conhecimento do governador  o pedido  do Terena de fazer uma reunião para que o Estado participe ainda mais na organização dos Jogos Mundiais” comentou o Secretário.

Terena disse que irá criar em Palmas, durante o evento, o Comitê Internacional Indígena (COI). Segundo ele, já está havendo esta articulação com os principais líderes mundiais indígenas e que a partir da criação o segundo Mundial será com as regras e normas deste comitê. " Vamos fazer que nem o COI Internacional. A única diferença é que aqui não teremos votos de federações ou confederações, mas sim a participação dos representantes indígenas.    



Celebridades

Festival das Culturas Indígenas, Fórum e Acendimento do Fogo Sagrado serão algumas das atividades de congraçamento e que vão anteceder a abertura oficial dos Jogos Mundiais, programadas para o dia 23 de outubro e seu encerramento no dia 1º de novembro.O evento deverá ter presença de celebridades nacionais e internacionais.




Eventos

No dia 20 de julho, Terena destacou que seu irmão, Carlos Terena, que é o responsável pelos jogos esportivos, vai receber os representantes dos mais de 2.300 indígenas que deverão disputar a competição para tirar todas as dúvidas referentes ao regulamento, horários dos jogos, ente outras particularidades. No dia seguinte, acontecerá o Festival de Culturas Indígenas, onde o índio seja brasileiro ou de fora do País poderá expor seu artesanato e mostrar seus produtos agrícolas, como a batata doce, mel e o que ele produz em sua região e, com isso, poderá gerar renda, pois a população vai poder comprar seus produtos. No espaço da grande arena haverá ainda uma Oca Digital, onde os indígenas vão poder aprender a mexer nos computadores.
Sagrado
Um dia antes da abertura oficial, Carlos Terena e vários líderes espirituais indígenas vão escolher um local em Palmas para fazer o Acendimento do Fogo Sagrado que ficará aceso até o final da competição, no dia 1º de novembro.



































La bandera de la estrella solitaria ya ondea en la Villa (+Fotos)

En acto compartido con sus similares de Bahamas y Colombia la embajada atlética disfrutó a plenitud el simbolismo del momento
Toronto.- Al amparo del sol que brilló con fuerza para avivar las nostalgias por la isla fue izada hoy la bandera de la estrella solitaria en una Villa Panamericana convertida en “hervidero” de esfuerzos, aspiraciones de triunfo y confraternidad.
La delegación cubana encabezada por el presidente del INDER Antonio Becali entonó las notas del himno nacional mientras su enseña patria era elevada hacia la cima del mástil en ceremonia que le dio la bienvenida oficial al bonito recinto.
En acto compartido con sus similares de Bahamas y Colombia la embajada atlética disfrutó a plenitud el simbolismo del momento y campeones olímpicos como la judoca Idalys Ortiz y el boxeador Roniel Iglesias compartieron con sus compañeros al compás de contagiosos ritmos,
incluida una conga que avivó la tarde junto a la mascota Pachi. Poco antes la emotividad se apoderó de la cita cuando la cubano-canadiense Gabriela González se dirigió dio la bienvenida desde su condición de embajadora del consejo de jóvenes y miembro del comité
organizador. “La villa es su hogar, el alma y el corazón de los juegos, se trata de un ambiente inclusivo, seguro y cómodo que se ha creado con el propósito de permitirles alcanzar su máximo nivel de desempeño”, dijo.
Mientras otros cumplían con sus programas de entrenamientos, pesistas, softbolistas, clavaditas, polistas y tenistas formaron igualmente parte del grupo antillano, acompañado por el cónsul de Cuba en Toronto, Javier Domokos.
Antes de la cubana fueron izadas las banderas de Argentina, Trinidad y Tobago, El Salvador, Panamá, Chile, Honduras y Perú, en tanto en lo queda de este miércoles ondearán además las de Aruba, Brasil, Puerto Rico, Bolivia, República Dominicana, St. Kitts y Nevis, Jamaica, México, Paraguay, Uruguay y Canadá, Bermuda, Ecuador, Surinam y Venezuela.