quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Seis pedras no caminho do futebol masculino do Brasil no Rio 2016

POR RIO 2016
Alemanha, Argentina, Colômbia, México, Nigéria e República da Coreia prometem dificultar a vida da seleção brasileira na busca pelo ouro inédito
Ataque formado por Neymar e Gabriel é uma das armas do Brasil na luta pelo inédito ouro Olímpico (Foto: Getty Images/Kenji Watanabe)
“Só penso na dourada”. A frase dita pelo capitão Neymar resume perfeitamente o sentimento do torcedor brasileiro em relação ao torneio masculino de futebol dos Jogos Rio 2016. Única grande conquista do esporte que ainda falta para o país anfitrião dos Jogos Olímpicos, o ouro é uma obsessão para jogadores e fãs da seleção. E o primeiro passo para dar fim a esse jejum pode ser dado nesta quinta (4), dia da abertura da competição, quando o Brasil enfrenta a África do Sul, às 16h, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF).
A seleção brasileira chega forte na expectativa de dar fim à espera pelo ouro. O grupo convocado pelo técnico Rogério Micale tem muito talento, especialmente no trio ofensivo, formado por Neymar, Gabriel Jesus e Gabriel ‘Gabigol’ Barbosa. Na defesa, Marquinhos, há quatro anos no futebol europeu, é garantia de segurança. Junte isso ao apoio incondicional do torcedor e a seleção brasileira parece forte candidata ao topo do pódio.
Mas, em um dos torneios Olímpicos mais fortes da história, as ameaças aos planos brasileiros vêm de todos os lados do mundo. Alemanha, Argentina, Colômbia, México e Nigéria, por exemplo, são adversários de lembranças amargas para os brasileiros. Colômbia e República da Coreia também se credenciam como concorrentes a medalhas.
Na lista abaixo, o Rio2016.com indica as principais qualidades dessas equipes para você não perder nenhum lance do torneio Olímpico de futebol: 

Alemanha

Alemanha volta ao Brasil, onde venceu a Copa do Mundo há pouco mais de dois anos, disposta a fazer a festa novamente no Maracanã. Conhecida pelo fortíssimo trabalho de renovação, tem no zagueiroMatthias Ginter, de 22 anos, um dos expoentes de sua nova geração. Apesar da pouca idade, o defensor do Borussia Dortmund esteve no elenco campeão do mundo em 2014 e dará consistência à equipe comandada pelo técnico Horst Hrubesch. O volante Lars Bender, que estava na pré-lista da Copa de 2014 e foi cortado por lesão, forma o trio mais experiente do grupo ao lado de seu irmão gêmeo Sven, zagueiro, e do atacante Nils Petersen.
Matthias Ginter fez parte do elenco campeão do mundo em 2014 (Foto: Getty Images/Matthias Hangst)

Argentina

Depois de conquistar dois ouros consecutivos nos Jogos, em Atenas 2004 e Pequim 2008, na segunda ocasião com vitória sobre o Brasil na semifinal, a Argentina ficou fora em Londres 2012. A equipe sul-americana vem ao Rio 2016 querendo impedir o inédito ouro dos anfitriões e deve contar com apoio maciço de sua apaixonada torcida, como aconteceu na Copa do Mundo de 2014. A chave do sucesso do time dirigido pelo técnico Julio Olarticoechea é a força de sua linha ofensiva, que conta com o veloz Ángel Correa, do Atlético de Madri, da Espanha, e com Giovanni Simeone, filho do ex-volante Diego Simeone. Capitão da equipe, o zagueiro Víctor Cuesta, que esteve no elenco da Copa América de 2016, é a referência do sistema defensivo.
"Posso sonhar? Seria bom chegar à final contra o Brasil. Às vezes os sonhos são realizados", vislumbra o treinador.
Torcida argentina invadiu o Rio durante a Copa do Mundo (Foto: Getty Images/Gabriel Rossi)

México

México é o atual campeão Olímpico e tem como meta manter o título conquistado em Londres 2012. O time conta novamente com o principal nome da conquista na capital inglesa, o atacante Oribe Peralta, de 32 anos, que marcou quatro gols no torneio, incluindo os dois na final, contra o Brasil. O goleiro Alfredo Talavera e o lateral Jorge Torres Nilo são os outros jogadores do elenco mexicano com experiência em Copas do Mundo.
“Não temos medo de sermos colocados entre os favoritos. Desde o começo da preparação, inserimos nos jogadores o senso de responsabilidade que precisamos ter por sermos os atuais campeões”, conta o técnico Raul Gutierrez.
Herói do ouro em Londres, Oribe Peralta é esperança de gols (Foto: Getty Images/Kevork Djansezian)

Colômbia

De volta aos Jogos Olímpicos pela primeira vez desde Barcelona 1992, a Colômbia é outra seleção que retorna ao Brasil com boas recordações depois de alcançar a melhor campanha de sua história na Copa do Mundo de 2014, quando ficou em quinto lugar. A estrela do elenco liderado pelo técnico Carlos Alberto Restrepo é o artilheiro Teo Gutierrez, que defende o Sporting, de Portugal, e esteve no grupo do último Mundial. O atacante Miguel Borja, de 23 anos, chega ao torneio Olímpico com moral depois de marcar o gol que deu o título da Taça Libertadores da América do Atlético Nacional, no fim de julho.
Teo Gutierrez é o mais experiente do elenco colombiano no Rio 2016 (Foto: Getty Images/Gabriel Rossi)

República da Coreia

República da Coreia subiu de patamar no torneio Olímpico em Londres 2012, quando conquistou sua primeira medalha nos Jogos, de bronze. O time do técnico Shin Taeyong chega reforçado aos Jogos Rio 2016 e conta com quatro jogadores que atuam no futebol europeu em seu elenco, entre eles os atacantes Son Heungmin, do Tottenham, da Inglaterra, e Suk Hyunjun, do Porto, de Portugal.
“Sei que é muito difícil repetirmos a glória de quatro anos atrás, mas nossa meta é uma medalha no Rio e nos preparamos para isso”, disse o meia Kwon Changhoon.
Son Heungmin atua no Tottenham, da Inglaterra (Foto: Getty Images/Chung Sung-Jun)

Nigéria

Primeira seleção africana a ganhar o ouro nos Jogos, em Atlanta 1996, quando superou o Brasil na semifinal, a Nigéria espera voltar a brilhar no cenário Olímpico 20 anos depois. O time, que também foi à final em Pequim 2008, aposta na força física e na velocidade de seus jogadores para surpreender os favoritos. A referência do time dirigido pelo técnico Samson Siasia é o experiente volante John Obi Mikel, de 29 anos. Capitão da seleção principal, o meio-campista está há uma década no Chelsea, da Inglaterra, onde venceu a Liga dos Campeões da Europa e o Campeonato Inglês.
Obi Mikel é jogador do Chelsea, da Inglaterra, há uma década (Foto: Getty Images/Clive Mason)


Nenhum comentário:

Postar um comentário