quarta-feira, 29 de junho de 2016

A Importância Da Educação Física Na Educação Infantil



A Educação Infantil é o início da escolarização de uma criança, fase em que a imaginação e a fantasia são ferramentas fundamentais no processo de ensino-aprendizagem, em que o profissional de Educação Física deve disponibilizar ao aluno o maior número de possibilidades de movimento, por meio de desafios corporais que envolvam ações cognitivas, afetivas e motoras de maneira conjunta, e não apenas explorando o corpo de maneira isolada. Isso porque entendemos que o ser humano é integrado à comunidade em que vive e o corpo é a porta de entrada para o avanço de suas habilidades.
Portanto, oferecer diferentes possibilidades corporais contribui para o seu desenvolvimento de maneira integral. Diante disso, a Educação Física no Colégio Pentágono tem por objetivo proporcionar um amplo leque de possibilidades através de ações motoras, gerando diferentes desafios corporais que contribuam para esse desenvolvimento dos alunos.
No Colégio Pentágono o trabalho interdisciplinar na Educação Infantil é importante para observar a evolução da criança durante todas as atividades. Alguns trabalhos realizados na sala de aula pelas crianças são transferidos para as aulas de Educação Física.
Um exemplo disso é o desenvolvimento da coordenação motora fina baseada em um dos eixos da Matemática, que trabalha espaço e forma, com a manipulação de diferentes formas geométricas, entre elas o desenho no papel. Nas aulas de Educação Física, o reconhecimento dessas formas se dá por meio da prática corporal, proporcionando novos desafios e oferecendo aos alunos melhor entendimento e maior aproveitamento dos conteúdos.
A parceria entre os professores fortalece um dos valores do colégio, que é a excelência acadêmica, em busca de uma educação eficaz e de melhor qualidade. Para a criança, a ligação entre as aulas proporciona a evolução e a ampliação do conhecimento, por meio de diferentes estímulos motores e cognitivos, contribuindo para o desenvolvimento cultural e social do individuo.

Bruno Lehmann Inácio
Professor de Educação Física Infantil do Colégio Pentágono
Foto: divulgação

Estudo: A Corrida Melhora O Desempenho Do Cérebro



Sabemos que o corpo precisa de se mexer e que o exercício físico deve fazer parte das nossas rotinas, sobretudo numa altura em que a maioria dos trabalhos são sedentários e nos fazem estar horas a fio sentados em frente a computadores. Mas treinar não influencia só o nosso aspeto — o cérebro também pode beneficiar. Mas será que as vantagens cerebrais são iguais em todos os tipos de treino? Será que correr e puxar ferro tem o mesmo efeito?
Investigadores sediados na Finlândia e Estados Unidos dizem que não. E vem tudo explicado no vídeo publicado pelo "Business Insider".
De acordo com o que podemos ver no vídeo, estes investigadores estudaram a produção de novas células cerebrais em 88 ratos, que foram divididos em três grupos: uns praticaram corridas de longa distância, outros treinos de força e outros treinos de alta intensidade. Cada um deles tinha um marcador no cérebro que identificava o aparecimento de novas células cerebrais. 
Resultados: o cérebro dos ratos que fizeram a corrida de longa distância produziram mais células do que qualquer um dos outros grupos. Por outro lado, aqueles que trabalharam a parte da força, tiveram o mesmo resultado que os sedentários: não produziram células novas nenhumas. 
A estas conclusões os investigadores chegaram a partir de ratos — não temos a garantia de que com os humanos funcione da mesma forma. Porém, sabemos, a partir de outros estudos, que o exercício físico tem interferência na produção celular do cérebro. Aquilo que resta confirmar é se todo o tipo de exercício estimula este crescimento da mesma forma. 
De acordo com Miriam Nokia, a investigadora principal do estudo, exercício aeróbico (cardiovascular), como mostrou o estudo com os ratos, pode ser o mais benéfico para o cérebro humano.

NIT - New in Town
Ana Luísa Bernardino
Foto: divulgação

Cuba E Costa Rica Ganham A Continental Cup De Vôlei De Praia Das Américas Do Norte E Central



Cuba e Costa Rica venceram a Continental Cup de Vôlei de Praia das Américas do Norte, Central e do Caribe, encerrada em Guaymas (MEX).
Pelo torneio masculino, Cuba derrotou na final o Canadá por 2 jogos a um. As duplas Karell Peña/Daisel Quesada (CUB) e Sergio Gonzalez/Nivaldo Díaz (CUB) foram os responsáveis pelo título cubano. Com o resultado, Cuba ganhou o direito de enviar uma dupla para os Jogos de 2016.
Canadá e México disputarão a Repescagem Olímpica.
Na competição feminina, a Costa Rica surpreendeu e conquistou a competição. Com as duplas Karen Cope/Nathalia Alfaro (CRC) e Marcela Araya/Valeria Valenciano (CRC), as costarriquenhas bateram o México na final por 2 jogos a 1, sacramentando a vaga nos Jogos de 2016.
As mexicanas, ao lado de Cuba, disputarão a Repescagem Olímpica, que será realizada em Sochi (RUS) entre os dias 6 e 10 de outubro.
Surto Olímpico
Foto: divulgação

Neurocientistas Explicam Como Correr Muda Nosso Cérebro e Afeta Nosso Pensamento



“Correr é um caminho para a autoconsciência e confiança – você pode empurrar-se a extremos e aprender a dura realidade de suas limitações físicas e mentais ou caminhar em silêncio por um caminho solitário assistindo a terra sob seus pés.” – Doris Brown Heritage.
Você está familiarizado com esse sentimento? Você tem uma visão sobre seu eu emocional e físico enquanto corre? Gostou da sensação do vento contra seu rosto e a liberdade de estar ao ar livre sozinho com seus pensamentos? Você pode sentir que após uma boa corrida sua mente está clara e pronta para absorver informações. Você também pode achar que a sua perspectiva é mais positiva depois de uma corrida, e que as coisas que te incomodavam você já não parecem tão ruins. Bem, seus sentimentos têm uma base científica. Uma pesquisa realizada no campo da neurociência mostra os efeitos do exercício aeróbico na clareza cognitiva e bem-estar emocional.
Novos neurônios seriam criados
Costumava ser aceito que nós nascemos com uma certa quantidade de neurônios, e que no momento em que nos tornamos adultos os neurônios deixariam de ser criados. Isto, no entanto, foi provado como errado. Através de pesquisa em animais, foi descoberto que novos neurônios são continuamente produzidos no cérebro ao longo de toda a vida. Karen Postal, presidente da Academia Americana de Neuropsicologia Clínica diz que a única atividade mostrado para desencadear o nascimento destes novos neurônios é o exercício aeróbico vigoroso. “Se você está se exercitando e sua – cerca de 30 a 40 minutos – novas células cerebrais estão nascendo”, diz Postal. Então, suar na esteira ou a céu aberto está fazendo muito bem a seu cérebro e ajudando-o a permanecer mentalmente saudável pelos próximos anos.
Pessoas que correm podem se recuperar de emoções negativas mais rapidamente
Em um estudo realizado por Emily Bernstein e Richard McNally, verificou-se que o exercício aeróbico pode ajudar a reduzir as emoções negativas. Bernstein é uma corredora e disse “eu noto que me sinto melhor quando estou ativa”. Ela queria descobrir o motivo e saber exatamente o efeito que o exercício tem sobre nós. O estudo se propôs a analisar a forma como o exercício altera o modo como as pessoas reagem às suas emoções. Os participantes foram orientados a se esticar ou correr durante 30 minutos e depois assistiram à cena final do filme de 1979, O Campeão. Os participantes, em seguida, relataram suas respostas emocionais. Verificou-se que aqueles que tinham corrido por 30 minutos se recuperaram mais rapidamente de sua experiência emocional triste do que aqueles que tinha apenas se esticado.
Memória de trabalho seria reforçada
Um estudo recente intitulado: “Acute Aerobic Exercise Increases Cortical Activity during Working Memory: A Functional MRI Study in Female College Students” (Exercício Aeróbio Forte Aumenta Atividade Cortical durante Memória de Trabalho: Um estudo de ressonância magnética funcional em universitárias) mostra o efeito do exercício aeróbio sobre a função cognitiva. O estudo analisou o efeito de uma sessão de exercício aeróbio sobre a memória de trabalho. Quinze mulheres jovens participaram do estudo. Elas foram examinadas, após uma sessão de exercício agudo, usando um MRI (ressonância magnética), enquanto realizavam uma tarefa de memória de trabalho. Verificou-se que o córtex e o hemisfério frontal esquerdo mostraram sinais de melhoria nos processos de controle. A partir dessas constatações, os pesquisadores notaram que isso indica que: “exercício agudo poderia beneficiar a memória de trabalho em um nível macro-neural.” Assim, o estudo mostra uma ligação entre exercícios aeróbicos e melhoria na memória.
Conclusão
Da próxima vez em que estiver em uma corrida, saiba que está fazendo-se um enorme bem. Você não está apenas ajudando o seu cérebro em um nível neurológico, também está trabalhando para melhorar a sua saúde emocional. Suas habilidades cognitivas, como a memória, serão melhoradas, e sua visão da vida provavelmente será mais positiva. Se você ainda não corre, pode querer tirar os tênis do armário e dar-lhes uma chance.

Fonte: https://osegredo.com.br
Luiza Fletcher • 25 de maio de 2016
Foto: divulgação