quarta-feira, 3 de agosto de 2016

JOGOS OLÍMPICOS 2016


Beisebol, softbol, surfe, karatê, escalada e skateboard serão olímpicos em 2020


O Comitê Olímpico Internacional (COI) aprovou nesta quarta-feira, 03/08/16 a inclusão de cinco esportes no programa dos Jogos de Tóquio, em 2020: beisebol / softbol, surfe, escalada esportiva, karatê e skateboard.

Embora o beisebol (1992-2008) e o softbol (1996-2008) já tenham sido esportes olímpicos, os demais são completamente novos no megaevento.

A mudança transformará Tóquio 2020 nos Jogos "mais inovadores da história", disse o presidente do Comitê Organizador da próxima edição, Yoshiro Mori.

A admissão do novo bloco de esportes vai representar a incorporação de 18 provas de medalha e de mais 474 competidores. Mas a mudança tem um alcance limitado: ainda não está garantido que entrarão no programa dos Jogos de 2024, cuja sede ainda não foi definida.


Beisebol
 Cuba. Foto: Kazuhiro Nogi/AFP


Karaté
Credito: Geraldo de Paula Photographer.


Modalidade: Softbol
Michigan Atlhetics


Modalidade: Surf
Daniel Medina - Divulgação


Escalada


Skateboard


TRACK&FIELD RUN SERIES

SHOPPING PARQUE D. PEDRO CAMPINAS


DATA: 28 DE AGOSTO DE 2016*
HORÁRIO DA LARGADA: 7H00
Local da prova:
Shopping Parque D. Pedro
Av. Guilherme Campos, 500 - Jardim Santa Genebra

Venha participar da 1ª Meia Maratona do Circuito TFRS em Campinas. Percurso inédito, com volta única paras os 21km.
Percurso:
5km e 10km - Percurso em breve.
21km - Percurso em breve.
* Data e percurso sujeito a alteração.

INSCRIÇÕES

Para se inscrever nesta etapa clique aqui.

Até o dia 21/08/2016 (*ou até o limite técnico previsto para o evento).

kit Atleta 10km/5km Valor de R$ 89,00 - kit Plus 10km/5km Valor de R$ 109,00.
kit Atleta 21km Valor de R$ 109,00 - kit Plus 21km Valor de R$ 129,00.

*Virada de lote: Após 21/08/2016.
kit Atleta 10km/5km Valor de R$ 99,00 - kit Plus 10km/5km Valor de R$ 119,00.
kit Atleta 21km Valor de R$ 119,00 - kit Plus 21km Valor de R$ 139,00.

KIT ATLETA

KIT ATLETA

Kit Atleta 5k e 10k:
. Camiseta Thermodry® Track&Field
. Gym Bag
. Meia Performance
. Medalha Finisher*



Kit Atleta 21k:
. Camiseta Thermodry® Track&Field
. Gym Bag
. Meia Performance
. Cinto Bolsos
. Medalha Finisher*






KIT PLUS

Kit Atleta 5k e 10k:
. Camiseta Thermodry® Track&Field
. Gym Bag
. Meia Performance
. Medalha Finisher*



Kit Atleta 21k:
. Camiseta Thermodry® Track&Field
. Gym Bag
. Meia Performance
. Cinto Bolsos
. Medalha Finisher*




. Porta Medalhas (Kits 5k 10k e 21k)

ENTREGA DE KIT

A entrega de kits será realizada nos 3 dias que antecedem ao evento exclusivamente na loja Track&Field - Shopping Parque D. Pedro, no horário de funcionamento da loja.
Não serão entregues kits fora desse período.
O tamanho das camisetas está sujeito à disponibilidade no momento da inscrição.
A retirada de kit poderá ser realizada por terceiros (*exceto categoria 60+) mediante apresentação de autorização e comprovante de pagamento.
Para baixar a autorização, clique aqui
*Nos casos de inscritos na categoria 60+, a retirada do kit e do chip de cronometragem deve ser feita pessoalmente, impreterivelmente, mediante apresentação do RG original. Não serão entregues kits/chips desta categoria a terceiros, mesmo com autorização dos mesmos.

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

05:00 - Abertura do estacionamento
05:30 - 06:30 - Entrega de Chip
05:00 às 08:30 - Bloqueio do percurso
06:30 - Alongamento
07:00 - Largada 21K
07:15 - Largada 5K e 10K
10:00 - Premiação

REGULAMENTO

Clique aqui para ver o regulamento da prova.




O CIRCUITO


O Track&Field Run Series é uma experiência única àqueles que buscam qualidade de vida por meio da prática esportiva. O circuito de corridas de rua é feito para pessoas apaixonadas pelo esporte, pelo bem estar físico e pelo bom relacionamento durante o lazer.
Com uma ampla estrutura de apoio e limite técnico de atletas reduzido, a organização do evento preza por oferecer conforto, comodidade e segurança a cada um dos atletas participantes. Isso confere melhor andamento à prova e maior facilidade no acesso aos benefícios oferecidos na arena do evento, como estacionamento, hidratação, frutas na chegada, entre outros.
Além disso, os inscritos ainda recebem o diferenciado kit atleta da prova que conta com uma camiseta Thermodry®, produto exclusivo da Track&Field.
Com início em 2004, o circuito de corrida mais charmoso do Brasil atrai milhares de atletas pelas ruas do país. Em 2015, serão 60 etapas em 30 cidades brasileiras. Confira nosso calendário, escolha a etapa mais próxima e participe!


Atractivos del boxeo


Tuesday, 02/08/2016 09:53 AM
Por Tribuna de La Habana en la sección



Foto: Robeisy
El debut de los boxeadores profesionales en cuadriláteros olímpicos, el resurgir de Cuba como potencia mundial con aspiraciones de regresar a lo más alto de medallero, y la segunda presentación de las mujeres, harán del boxeo uno de los deportes más atractivos de los Juegos de Rio-2016.


El deporte de los puños, que se estrenó en San Luis en 1904, otorgará 10 juegos de medallas en la categoría masculina y tres en la femenino, y se extenderá del 6 al 21 de agosto, en jornadas matutinas y nocturnas en el Pabellón 6 del Centro de Convenciones Riocentro de Río de Janeiro.



Las categorías en que competirán los hombres son 49, 52, 56, 60, 64, 69, 75, 81, 91 y más de 91 kilogramos, mientras las mujeres lo harán en las mismas tres divisiones que en su debut en Londres-2012: hasta 51, 60 y 75 kg.



Según reportó Prensa Latina, los Juegos Olímpicos de Río de Janeiro serán los primeros de la historia en los que podrán participar boxeadores profesionales pero, dado que la decisión se tomó apenas el 1 de junio, habrá muy pocos profesionales reales en la cita brasileña.



El hombre detrás de esta iniciativa es el taiwanés Wu Ching Kuo, presidente de la Asociación Internacional de Boxeo (AIBA) desde 2006, quien ha ido revolucionando el deporte con medidas que hoy escandalizarían a los padres fundadores del olimpismo. 



El 1 de junio de 2016, en la ciudad suiza de Lausana, 84 de los 88 miembros de la AIBA aprobaron el cambio de los estatutos que permite a los profesionales pelear por medallas olímpicas en la capital carioca. 
El boxeo se suma a otros deportes donde los profesionales ya han sido admitidos en los Juegos, como el tenis, el fútbol, el golf y el rugby. 



Otra novedad de estos Juegos, es que será la primera vez que los púgiles peleen sin protector de cabeza, aunque las mujeres continuarán usándolo. 



Presencia femenina



La Armada Cubana llega a Rio con equipo completo de 10 púgiles, encabezados por el campeón olímpico de los 64 kg en Londres-2012 Roniel Iglesias, ahora en la división de los 69 kg. También figuran favoritos al títulos los campeones mundiales Joahnys Argilagos (49), Andy Cruz (56), Lázaro Alvarez (60), Arlen López (75) y Julio La Cruz (81). 



Luego del exitoso debut en Londres-2012, donde protagonizaron combates emocionantes y mostraron buena técnica, las mujeres se calzarán los guantes otra vez para pelear por la gloria olímpica. 



El torneo de Rio promete calidad y espectáculo con la presencia de las tres campeonas olímpicas: la británica Nicola Adams en los 51 kilos, la irlandesa Katie Taylor en los 60 kg y la estadounidense Claressa Shields en los 75 kg. 



Adams y Shields vienen de coronarse en el campeonato mundial de este año en Astana, donde Taylor se quedó en bronce, pero igual se clasificó.

Sotomayor comentará los Juegos Olímpicos de Río


Por Tribuna de La Habana en la sección


Sotomayor comentará los Juegos Olímpicos de Río

El exsaltador de altura cubano Javier Sotomayor, recordista mundial, comentará los Juegos Olímpicos de Río de Janeiro-2016 para la cadena brasileña Globo.

“La idea me entusiasma y la voy a disfrutar. Estar en unos Juegos Olímpicos es algo espectacular”, dijo Sotomayor a la emisora Radio Habana Cuba.

El exatleta, de 48 años y campeón olímpico en Barcelona-1992, calificó de “una experiencia nueva” convertirse en locutor.
Sotomayor, todavía dueño de los récords mundiales 2,45 (al aire libre) y 2,43 metros (bajo techo), se sumará a un equipo de narradores y comentaristas que incluirá a otras glorias como la rumana Nadia Comaneci (gimnasia), los estadounidenses Carl Lewis (atletismo), Mark Spitz (natación), Greg Louganis (clavados) y el brasileño Nalbert Tavares Bitencourt (voleibol).






"Essas crianças são nosso futuro", diz Bolt ao receber visita de jovens moradores de comunidade

POR RIO 2016

Bolt faz seu tradicional gesto e é acompanhado pela garotada (Foto: Facebook/Reprodução)

O acesso a Usain Bolt tem sido difícil para a imprensa, desesperada para falar com um dos maiores astros dos Jogos Rio 2016 enquanto ele se prepara para defender seus três títulos Olímpicos. Entretanto, um grupo de crianças de comunidades próximas ao campo de treinamento do jamaicano foi convidado para conhecer o campeão dos 100m, 200m e 4x100m na terça-feira (2) de manhã.


Em uma publicação na sua página do Facebook, Bolt compartilhou uma foto em que faz sua famosa pose imitando um raio ao lado de dezenas de crianças de comunidades próximas ao Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes, na Penha. Esse é o local que o jamaicano está usando como centro de treinamento.
"Dizem que essas crianças são das comunidades mais perigosas daqui do Rio. Elas são nosso futuro, e estou muito feliz por conhecê-las", escreveu Bolt.
Bolt e o restante da equipe jamaicana devem se mudar para a Vila Olímpica na quarta-feira (3), dois dias antes da cerimônia de abertura no Maracanã.
A defesa de Bolt dos três títulos que conquistou em Pequim 2008 e em Londres 2012 começará no dia 13 de agosto, com a disputa das eliminatórias dos 100m.

A maior derrota dos Jogos do Rio

Evento começa com uma de suas principais promessas nem perto de ser cumprida: o saneamento da Baía de Guanabara. Atletas competirão num local infestado de lixo, como num símbolo do ocaso da cidade.
Fonte: http://www.terra.com.br/



Poluição nas águas da Baía de Guanabara, em foto de março de 2015 no Rio de Janeiro

Alex Sandro dos Santos está de pé sobre um velho cais de madeira que leva até os barcos dos pescadores, a partir do bairro de Tubiacanga, na Ilha do Governador, na zona norte do Rio de Janeiro. Com 48 anos de idade, ele pesca na Baía de Guanabara desde que tinha dez anos.
"Aqui ainda tem uns 20 mil pescadores, cada um com três ou quatro filhos para criar. Mas com a queda da população de peixes, nem todos conseguem viver da pesca. Muitos trabalham como garçom para ganhar um extra", queixa-se Alex Sandro, que complementa o orçamento construindo caixas de madeira.

O motivo para o desaparecimento dos peixes fica claro assim que se dá uns poucos passos pelo cais: o cheiro é de fezes e lixo, na água há garrafas plásticas, sapatos, até móveis inteiros flutuando; o lodo nas margens é uma massa mal-cheirosa e imunda.

Nessa área próxima ao Aeroporto Internacional do Galeão, a vista para o mar é dominada pelas chaminés das refinarias de petróleo e pelo mar de casas do Rio, a cidade de 6 milhões de habitantes que lança seus esgotos não tratados na Baía de Guanabara, como se fosse a coisa mais normal do mundo: 18 mil litros de água por segundo.

A indústria pesada igualmente deposita há décadas os seus dejetos altamente tóxicos na baía oceânica. A 32 metros de profundidade, o lodo do fundo está fortemente contaminado com metais pesados, e a água pulula de bactérias multirresistentes.

Além disso, em janeiro de 2000 a ruptura de uma tubulação resultou no vazamento de mais de 1 milhão de litros de petróleo para dentro da baía e para a reserva ecológica dos manguezais costeiros. Muitos moradores estão esperando até hoje para receber as indenizações devidas da semiestatal Petrobras.

Ignorando as bactérias

Enfim: a baía - cujo belo nome em tupi significa "mar do seio", provavelmente devido à antiga abundância de peixes - serve ao Rio de Janeiro, ao mesmo tempo, como cloaca, lixão e depósito para restos de óleo mineral. Fato que não impediu o Comitê Olímpico Internacional (COI) de escolhê-la como local para as competições de vela dos Jogos Olímpicos de verão.

Depois participar de um teste de regata em 2015, o velejador alemão Erik Heil contraiu infecções nas pernas e quadris, que só cederam após o retorno a Berlim, com a ministração de um antibiótico de amplo espectro.

Diversos atletas dizem ter receio de entrar na Baía de Guanabara, e pretendem evitar todo contato da água com a pele. O alemão Heiko Kröger, medalha ouro de vela nos Paraolímpicos de 2000, escreveu para Thomas Bach, presidente do COI: "Se eu fosse o senhor, não conseguiria mais dormir de noite."

Especialistas confirmam que as bactérias das águas do Rio podem desencadear doenças bem piores que a de Erik Heil. "Os esportistas devem, de todo modo, se vacinar contra hepatite A, antes de começar no Rio", aconselha o biólogo marinho Mario Moscatelli. Com a densidade bacteriológica que ele constatou, tampouco estão descartadas doenças como a meningite.

Medidas vãs de saneamento

Fundador do Movimento Baía Viva, o ecologista Sérgio Ricardo se ocupa há anos do escândalo ecológico da enseada carioca. "Nós chamamos isso de 'o milagre da Guanabara': aqui se encontram todas as espécies, fora baleias." De fato, se ainda há alguma vida no local, é graças a um pequeno afluxo de água fresca do Oceano Atlântico. Por outro lado, esgotos e cerca de 100 toneladas diárias de lixo continuam sistematicamente destruindo vidas.

Ele entra com o barco na baía, para mostrar as dimensões do desastre ecológico, provando como fracassaram todos os diversos esforços para sanear o corpo d'água - os quais COI gosta muito de mencionar, sempre que há críticas à escolha do Rio como cidade-sede.

Entre 1994 e 2006, o estado do Rio de Janeiro investiu o equivalente a mais de 1 bilhão de euros na construção de estações de tratamento de água, com apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Agência para Cooperação Internacional, do Japão.

O problema é que até hoje a maioria das tubulações necessárias não foi instalada, e a maior parte do esgoto continua caindo diretamente no mar, sem qualquer tratamento. Enquanto isso, as seis estações construídas vão se arruinando. "O programa quase não teve efeito", acusa Sérgio Ricardo. "Em vez disso, o governo aposta em medidas cosméticas: por exemplo, barcos para pescar o lixo da água."

Extração de petróleo, outro vilão

Em 2013 foi iniciado um segundo projeto de saneamento, com custo superior a 200 milhões de euros. No entanto, também aqui o vazamento de verbas foi grande, como ao se conectarem várias casas ao sistema de canalização, sem que este desembocasse na estação de tratamento d'água. Havia diversas instituições envolvidas, em nível municipal, estadual e federal, e muito dinheiro se perdeu com a burocracia e corrupção.

Assim como outros peritos, Sérgio Ricardo tem certeza que o saneamento da Baía de Guanabara é um projeto de longo prazo, sendo necessários, no mínimo, 20 anos até se começarem a ver os primeiros efeitos. Já a "limpeza expressa" para as Olimpíadas não serviu para nada.

É preciso construir canais e lagunas e tem que ser eliminado o aterro sanitário desativado nas proximidades das águas, reivindica o ecologista: "Combinado com o lixo que é lançado do Rio, o aterro é o coquetel molotov da Baía."

Para culminar, não se pode excluir que nos próximos anos a indústria petroleira continue a perfurar no local: a cerca de 7 mil metros de profundidade ainda se encontram grandes jazidas, e a economia brasileira segue dependente do combustível fóssil. Aí é questionável se a técnica de filtragem bastará para compensar a utilização industrial intensiva.

Peixe continua chegando às mesas

A conclusão do pescador Alex Sandro dos Santos é desoladora: "A gente tinha a esperança de que alguma coisa fosse melhorar com as Olimpíadas, mas nada aconteceu: a esperança é zero." Por isso é importante seus colegas de profissão que ainda restam tomarem o destino nas próprias mãos.

Isso não o impediu de participar da fundação do Observatório Pesqueiro da Baía de Guanabara, que aponta irregularidades na área e promove programas alternativos para os pescadores - como, por exemplo, a criação de peixes em antigos tanques de petróleo.

Apesar do lixo, óleo e metais pesados, Santos não esconde seu orgulho e determinação ao afirmar que "o peixe da Baía continua chegando às mesas, apesar dos debates". Ele mesmo ainda não ficou doente por isso: "Tenho uma saúde de aço", assegura, sorrindo.

E, ao se despedir, ainda dá um dica sobre a melhor forma de degustar o peixe da Guanabara: acompanhado por um chope bem gelado.

Com hérnia cervical, Fabiana Murer faz tratamento para competir

Na noite desta quinta-feira, a campeã mundial e sul-americana do salto com vara, Fabiana Murer, anunciou através de sua rede social que vem tratando uma lesão na coluna a pouco mais de duas semanas, mas que segue firme para participar dos Jogos Olímpicos do Rio.


Fabiana Murer é um dos principais nomes do atletismo brasileiro
Foto: Wagner Carmo / CBAt

"Depois da competição de Mônaco (15 de julho) senti uma dor muito forte no pescoço, tratei intensamente para poder competir em Londres, mas no aquecimento senti fraqueza no braço e não tinha confiança para saltar. Assim que cheguei no Brasil fiz uma ressonância magnética e levei um susto com o resultado. Hérnia de disco cervical, que explicava todos os meus sintomas. O meu médico me tranquilizou e disse que eu poderia me recuperar a tempo para competir nas Olimpíadas.

Estou em um trabalho intenso de fisioterapia (2x por dia), e treinando muito bem. Já fiz até um treino de salto completo. Estou evoluindo rapidamente e estou me dedicando ao máximo para chegar 100% nas Olimpíadas", afirmou Murer.

Ouro no Pan-Americano do Rio, em 2007, e nos mundiais de 2010 (Doha, pista coberta) e 2011 (Daegu), Fabiana também é dona dos recordes brasileiro e sul-americano do salto com vara, com 4,87m ao ar livre e 4,83m em pista coberta.

Uma das favoritas à medalha de ouro em Pequim 2008, quando estava em seu auge, Fabiana Murer viu as chances de vitória sumirem junto a suas varas, que desapareceram na competição. Em Londres 2012, a brasileira sequer passou da fase de classificação.

Gazeta Esportiva



Pelé sueña con encender el pebetero olímpico

Edson Arantes do Nascimiento afirmó que "sería una honra para mi, pues cuando Brasil fue escogido como sede recibí la llama”

Foto: O Globo
El Rey Pelé sueña con ser el último conductor de la antorcha olímpica y encender el pebetero de los Juegos de Río de Janeiro. “Sería una honra para mi, pues cuando Brasil fue escogido como sede recibí la llama”, dijo Edson Arantes do Nascimiento en una entrevista concedida la publicación El Día.
También conocido como la Perla negra, el veterano de 75 años, nacido el 23 de octubre de 1940, afirmó que durante los Juegos de Atlanta’96 conoció al fallecido Mohamed Ali, quien avivó el fuego en aquella edición del evento, momento que le proporcionó un grato recuerdo.
Sin salirnos del tema referente a la sede carioca, Eduardo Paes, prefecto de Río de Janeiro, afirmó que en aras de evitar congestión en las vías durante la cita estival, decretó días feriados en la ciudad el próximo jueves 4 de agosto, y por supuesto el viernes 5, fecha de la apertura. Además, también sumó a su decreto el 18 del propio mes, cuando tendrá lugar el triatlón varonil y el 22, fijado para la partida de las delegaciones y los turistas.
Como ha anunciado, Carlos Nuzman, titular del Comité Organizador de los Juegos, Brasil aspira a incluirse entre los diez primeros países del medallero en este evento montado en casa, sitial que no ha logrado nunca antes.
Otra de las naciones que ya ha lanzado al vuelo sus pronósticos ha sido España, cuya aspiración es obtener entre 15 y 20 medallas en 19 de los 25 deportes en los cuales estará representada.
Los ibéricos ponen sus esperanzas de luchar por el oro con Miguel Ángel López, campeón mundial y europeo de marcha 20 kilómetros; Ruth Beitia, tres veces líder del Viejo Continente en el salto de altura,quien ve incrementada sus acciones tras la eliminación de las rusas Kuchina y Chicherova.
El baloncesto masculino, a pesar de la ausencia de su estrella Paul Gasol, intentará seguirles los pasos a los favoritos estadounidenses para refrendar las preseas plateadas de Beijing’08 y Londres’12. Igualmente piensan terminar detrás de Estados Unidos en elpolo acuático (m).
En Beijing’08, los españoles finalizaron en el lugar 15, avalados por cinco oro, diez platas y tres bronces, mientras cuatro años más tarde en Londres ganaron 3-10-4, para incluirse en el puesto 21.
Más modestas son las intenciones de Colombia, que con su estrella Catherine Ibargüen en triple salto; Yuri Alvear en los 70 kilogramos del judo y el ciclista Fernando Gaviria en el ómnium, considera tener sus mayores opciones de escalar a la parte más alta del podio.
Algunos pronósticos dan esta vezpzra plata a Mariana Pajón, oro en BMX de Londres, junto a la luchadores de los 58kg, Jackeline Rentería, el pesista Oscar Figueroa (62kg) y el equipo masculino de fútbol.
Chile anunció una comitiva de 42 deportistas, la mayoría debutantes en estas lides a quienes se le conceden pocas posibilidades, incluyendo a su abanderada Erika Olivera, ocupante de la plaza 63 en el maratón corrido en Londres.

Escolinha Nilton Santos, em Palmas-TO retorna às aulas, mas ainda realiza matrículas


Estão abertas as inscrições para compor o quadro de alunos da Escolinha Nilton Santos, em Palmas. Segundo a Seduc – Secretaria da Educação, Juventude e Esportes, estão sendo oferecidas vagas para a modalidade futebol, distribuídas nas categorias Sub-9, Sub-11, Sub-13, Sub-15 e Sub-17. As matrículas e a permanência do aluno na escolinha são gratuitas. As inscrições podem ser efetuadas de segunda à sexta-feira, das 08h às 11h e das 15h às 18h. Vale destacar que não tem data de encerramento das inscrições, já que as vagas são abertas o ano inteiro. 
Para efetuar as matrículas, os interessados devem procurar a sede da Escolinha Nilton Santos, localizada na quadra 407 Norte, Alameda 08, APE 01, em Palmas, acompanhados do pai ou responsável, e munidos dos seguintes documentos: atestado médico, 2 fotos 3×4, cópia da certidão de nascimento ou identidade e comprovante de matrícula em alguma escola da rede pública ou privada de ensino.
Reinício
Apesar de ainda estar recebendo matrículas dos alunos, a Escolinha Nilton Santos retornou nesta terça-feira (2), as aulas no campo da 407 Norte, com atividades práticas. Maiores informações com o Coordenador da Escolinha Nilton Santos, Carlos Ricardo dos Santos – (63) 98412.1674.


Professor Gilberto Souza orientando a garotada durante o retorno das atividades da Escolinha Nilton Santos – Fotos: Wagner Amaral/Escolinha Nilton Santos